4 de janeiro de 2018

A Pedra Pagã - Nora Roberts

Título: A Pedra Pagã  - A Sina do Sete #3
Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Gênero: Fantasia/Romance
Ano: 2017
Páginas: 272
Nota:
Sinopse: Partilhando visões de morte e fogo, os irmãos de sangue Cal, Fox e Gage, e as mulheres ligadas a eles pelo destino, Quinn, Layla e Cybil, não podem ignorar o fato de que o demônio está mais forte do que nunca e que a batalha final pela cidade de Hawkins Hollow está a poucos meses de acontecer.
A boa notícia é que eles conseguiram a arma necessária para deter o inimigo ao unir os três pedaços de jaspe-sanguíneo. A má notícia é que ainda não sabem como usá-la e o tempo está se esgotando.
Compartilhando o dom de ver o futuro, Cybil e Gage podem descobrir a resposta para esse enigma se trabalharem juntos. Só que, além de não terem nada em comum, os dois se recusam a ceder aos próprios sentimentos. Um jogador profissional como Gage sabe que se entregar a uma mulher como Cybil – com a inteligência, a força e a beleza devastadora dela – pode ser uma aposta muito alta. E qualquer erro de estratégia pode significar a diferença entre o apocalipse e o fim do pesadelo para Hawkins Hollow.

Resenha: A Pedra Pagã é o último livro da trilogia A Sina do Sete, escrito por Nora Roberts e publicado pela Editora Arqueiro.

Primeiro, vamos dar uma relembrada no que já passou: Quando os amigos Cal, Fox e Gage completaram 10 anos de idade, resolveram acampar na Pedra Pagã, era uma pedra localizada na mata, um lugar rodeado de mistérios que atraiu as crianças sem elas saberem o motivo. Os amigos faziam aniversário no mesmo dia e nada mais queriam a não ser comemorar juntos. A meia noite, acabaram por soltar uma maldição, quando resolveram fazer uma espécie de pacto de sangue e isso fez com que um clarão enorme aparecesse. Na hora eles se assustaram, e muito, mas não faziam ideia do que estava por vir. Desde então, a cada 7 anos, durante 7 dias e 7 noites, as pessoas da cidade enlouquecem, machucam e até matam umas às outras sem se importar se são amigos, entes queridos ou um desconhecido, e depois, simplesmente, não lembram do que aconteceu. Isso vem acontecendo já faz 21 anos! Então, lá no primeiro livro, Cal chama Quinn, que é uma escritora sobrenatural, pensando que com um olhar de fora, ela possa ajudar a resolver e acabar com a maldição. Junto com Quinn, chega Layla, sem saber como ou por que foi parar naquela cidade, e Cybil, amiga inseparável de Quinn, que vão, junto com os rapazes, descobrir que fazem parte da maldição.

Cada livro foi dedicado a um casal. Paralelo às tentativas de descobrir uma maneira de acabar com a maldição, um romance se desenrola e agora foi a vez de Gage e Cybil, os dois mais resistentes à se envolver, já que acham que o amor entre eles é culpa da maldição e não uma coisa natural. Eles resistem o quanto podem e tentam não se envolver, mas o sentimento é maior e aos poucos, e meio que sem perceber, acabam se envolvendo de verdade.

Porém, ainda que o romance esteja no ar, as coisas não param de acontecer, o menino dos olhos vermelhos está cada vez mais maldoso e cada vez mais presente na vida dos amigos, e suas maldades estão cada vez mais impactantes, e mesmo não sendo ainda a semana crítica, que eles chamam de "semana dos sete", coisas terríveis começam a acontecer.

Enfim, eles descobrem o que deve ser feito para parar o garoto, só que não vai ser assim tão simples, é que para tanto, um deles deve se sacrificar a menos que eles consigam arranjar um jeito de enganar o menino, e mais importante, enganar a morte certa. Porém essas seis pessoas acabaram se tornando amigas de verdade, e o sacrifício não é uma possibilidade para nenhum deles. Então, eles iniciam uma corrida contra o tempo para dar um jeito em toda essa confusão, já que descobriram que esse será o último ano da maldição. Definitivamente, alguém vai vencer, se eles ou o gurizinho malvado, ninguém sabe.

Essa trilogia me conquistou de verdade! Nunca tinha lido nada da autora e preciso dizer que valeu a pena, a narrativa dela é super fluída, mistério e romance vieram na medida certa, as cenas mais picantes estão perfeitas, sem exagero e os cenários são descritos com perfeição, além de os personagens serem cativantes e super bem construídos.

O relacionamento entre Cybil e Gage avança natural e gradualmente fazendo com que o envolvimento se torne mais intenso cada vez mais até que se deem conta.
A trama é bem desenvolvida e os acontecimentos conectados de uma forma bastante surpreendente, de forma que as perguntas que ficaram em aberto fossem, enfim, respondidas.

Pra quem gosta de romances com elementos sobrenaturais, com aquela pegada de "mocinhos numa jornada para derrotar o mal", é trilogia recomendada!

Nenhum comentário

Postar um comentário