Procura-se um Namorado - Alexis Hall

3 de janeiro de 2022

Título: Procura-se um Namorado - Boyfriend Material #1
Autora:  Alexis Hall
Editora: Paralela
Gênero: Romance
Ano: 2021
Páginas: 424
Nota:★★★★☆
Compre: Amazon
Sinopse: Luc O’Donnell, infelizmente, é um cara famoso. Quer dizer, mais ou menos. Sendo filho de duas estrelas do rock, ele é uma das subcelebridades preferidas dos tabloides. E agora que seu pai está voltando aos holofotes, ele se tornou o centro das atenções, o que significa que uma foto comprometedora pode ― e vai ― estragar tudo.
Mas Luc tem um plano: para limpar sua imagem, ele só precisa de um namorado normal e bonzinho, e Oliver Blackwood é as duas coisas, além de advogado, vegetariano e basicamente alérgico a qualquer tipo de escândalo. O único problema é que, tirando o fato de ambos serem gays e solteiros e precisarem de acompanhantes para um evento, Luc e Oliver não têm nada em comum.
É por isso que eles estabelecem um namoro falso, até quando for necessário. Mas o perigo de namorar de mentira é que se parece muito com namorar de verdade. E, quando sentimentos verdadeiros começam a surgir, eles precisam descobrir como fazer dar certo ― não para as câmeras, mas para si mesmos. 
Resenha: Procura-se um Namorado é o primeiro volume da trilogia Boyfrined Material, da autora britânica Alexis Hall e publicado no Brasil pela Paralela

Luc O'Donnell é filho de celebridades do universo do Rock & Roll, e isso acabou o tornando uma subcelebridade perseguida pelos tablóides. Depois de duas décadas tendo problemas com vícios, indo e voltando da reabilitação, o pai de Luc está voltando ao cenário musical, e qualquer deslize desse retorno pode virar motivo de perseguições, manchetes e fofocas. Obviamente uma foto comprometedora vem à tona, a reputação de Luc agora está por um fio, seu emprego está ameaçado e ele precisa de um namorado perfeito para poder limpar essa mancha em sua imagem. E é aí que entra Oliver Blackwood, um advogado que é exemplo de ser humano, vegetariano, da paz, super bonzinho... Eles não têm nada em comum, mas um namoro falso poderia ser a salvação de Luc. O problema é que, pra forjar algo que não existe, os envolvidos precisam estar juntos, fazer coisas de casal e afins, e talvez essa aproximação e essas atitudes possam acabar fazendo com que sentimentos verdadeiros surjam dessa farsa...

A premissa de Procura-se um Namorado é clichê e nada original, eu sei. Essas histórias que envolvem esse tipo de farsa em prol de algum "benefício" parecem todas iguais, mas nesse caso, a forma como a história foi contada, a escrita envolvente da autora, foi um conjunto que combinou, deu certo, e me fisgou de um jeito que fiquei muito surpresa. A autora tem aquele humor britânico hilário e cheio de sarcasmo que é capaz de arrancar risadas altas na gente, e ao mesmo tempo a gente percebe que existem sentimentos intensos por de trás de toda essa graça independente da cena.
Vou ser sincera em dizer que não há nenhum acontecimento grandioso na trama que causa AQUELE impacto na leitura, é como se não houvesse motivação plausível o suficiente sobre o problema pra sustentar a trama até o final. É como se fossemos lendo sobre essa ideia mirabolante com a certeza que não vai prestar, e ao longo da história só confirmamos isso, mas os personagens são legais, mesmo quando são insuportáveis, possuem tantas camadas e são tão interessantes que, pra mim, foi impossível não gostar. Eu só queria acompanhar as confusões de todos eles pra continuar rindo e fugir da realidade que põe a gente pra baixo dia e noite (e acho que esse é um ponto super positivo pra se considerar a leitura desse livro).

O que pra mim foi bem interessante é que achei que os personagens não caem tanto em estereótipos como eu imaginei que seria, porque a bagagem que vem com eles antes de embarcarem nessa furada (ou talvez não seja uma furada dependendo do ponto de vista) mostra que eles têm um algo a mais, que são muito humanos, muitos reais, e têm questões delicadas pra lidar enquanto estão forjando esse bendito namoro. Por mais engraçado que o livro seja, fazendo piada com tudo que a gente possa imaginar, ainda tem os temas mais delicados, como a homofobia, o narcisismo dos pais, o abandono afetivo, e são problemas que, por piores que sejam, ainda existem e há quem conviva e sofra com isso. Logo há essa carga dramática que consegue se equilibrar bem com o tom de comédia da história sem destoar, sem estragar a experiência e ainda levantando o questionamento sobre as opiniões alheias acerca da orientação sexual, da autoaceitação, sobre se assumir, sobre o preconceito (velado ou não), e sobre como as pessoas lidam com isso.

E o melhor é que, desde o início, a gente sabe como essa história vai terminar, mas ainda assim continua lendo, seja pra rir, pra passar raiva com os pais deles, pra passar raiva com a enrolação deles, pra suspirar quando as coisas começam a se encaixar, pra falar "eu sabia" quando tudo começar a dar errado, enfim, mas é tudo no melhor sentido da coisa.

Luc é um personagem um tanto complicado, pois ele é super negativo devido as experiências que ja teve sob influência dos pais desajustados. Suas feridas acabaram o tornando alguém autodepreciativo, dramático ao extremo, atormentado, e talvez ele tenha ficado pessimista e miserável assim de tanto ver que é isso que os tablóides expõe pro público. É muito satisfatório acompanhar a jornada dele, lidando com os obstáculos e aprendendo a confiar nos outros.
Oliver é o oposto. O homem é um gentleman, atencioso, respeitoso, educado, com a vida meticulosamente organizada. Ele se revela meio rebelde em meio a esse "namoro", mas o que importa é que ele se esforça e no final a gente só tem a certeza de que ele é adorável.
Os personagens secundários também são ótimos, suas participações e influências na vida do casal são importantes e a gente vai percebendo como cada um deles tem suas peculiaridades, como são caricatos pra ajudar no tom de humor, como são esquisitos com suas manias absurdas, como lhes falta bom senso mesmo quando são bem intencionados, como seus hábitos irritantes e teimosia fazem com que a gente queira lhes dar um murro, ou como são importantes para dar aquele empurrão que o outro precisa.

No mais, Procura-se um Namorado é um livro super engraçado e ótimo pra espairecer, que não vai falar apenas das confusões que um namoro falso podem desencadear. Aqui a gente consegue perceber nas entrelinhas que não podemos ser orgulhosos e ignorar ajuda dos outros quando essa ajuda é necessária, mas que o caminho a ser trilhado para se dar jeito nos problemas deve ser percorrido pelo maior interessado em resolvê-los.

Nenhum comentário

Postar um comentário