Na Telinha - BoJack Horseman (2ª Temporada)

17 de novembro de 2019

Título: Bojack Horseman
Temporada: 2 | Episódios: 12
Elenco: Will Arnett, Alison Brie, Amy Sedaris, Paul F. Tompkins, Aaron Paul
Gênero: Animação/Comédia/Drama/Fantasia
Ano: 2015
Duração: 25min
Classificação: +16
Nota
Sinopse: Depois que sua autobiografia se torna um best-seller e o papel no filme dos seus sonhos parece finalmente ser realidade, BoJack está pronto para impulsionar sua carreira. A menos que ele estrague tudo.

BoJack Horseman está de volta nessa segunda temporada que consegue ser tão boa quanto a primeira. Enquanto seu completo fracasso como pessoa foi explorado na primeira temporada, dessa vez, o que entra em cena é seu retorno para os holofotes e sua autodescoberta em busca de algo maior e mais além do que o fundo do poço: BoJack quer voltar a ser feliz.
Depois do lançamento de sua biografia escrita por Diane Nguyen, BoJack recupera a fama perdida, volta a ser conhecido e consegue um trabalho para protagonizar o filme Secretariat. Porém, contrariando suas expectativas, esse retorno não lhe traz nenhuma alegria, muito pelo contrário.


Embora a temporada ainda aborde as questões sobre os bastidores podres do mundo das celebridades, o foco fica sobre BoJack que, depois de reconhecer que sua vida foi ladeira abaixo, está em busca da sua felicidade. Os episódios mantém a essência da série, trazem um humor sagaz, que beira a ironia, e os demais personagens que fazem parte da vida de BoJack, Diane, Todd, Princess Carolyn e Mr. Peanutbutter, ganham mais profundidade, espaço e relevância. Os altos e baixos do casamento de Diane com Mr. Peanutbutter é bem trabalhado e mostra um outro lado da vida de um casal que muitos tem, mas não contam pra ninguém, assim como as tentativas frustradas de BoJack se relacionar com alguém quando ele não está preparado pra isso, por mais que ele tente. Por falar em relacionamento, alguns são apresentados de uma forma tão absurda, mostrando que, por amor, muitas vezes ficamos tão cegos, que deixamos de ser capazes de enxergar a verdade que está na nossa frente, e isso chega a ser até preocupante se pararmos pra pensar.

Há uma abordagem bem interessante sobre o relacionamento falido de BoJack com sua mãe, que sempre o coloca abaixo de zero e nunca lhe dá apoio algum, e o quanto isso afeta sua vida, e por aí podemos ver que grande parte da personalidade dele vem do que ele precisou - e ainda precisa - enfrentar. A proximidade com uma ex-companheira de trabalho, que agora já está adulta e cheia de problemas, também ganha espaço e levanta vários questionamentos.

As situações e os diálogos trazem ótimas reflexões, pois não deixam de ser uma crítica à sociedade atual. Os personagens são tão "humanos", cheios de falhas e defeitos, que acabam estando bem próximos da nossa realidade, por mais bizarros que sejam. Logo é perfeitamente possível sentir alguma empatia ou se identificar com suas personalidades, seus desafios, seus obstáculos ou com seus sonhos.


Confesso que os primeiros episódios não são tão convidativos, mas a medida que as coisas vão acontecendo, os personagens vão sendo mais trabalhados, seus dilemas vão ficando cada vez mais interessantes, as sátiras se tornam certeiras, e as lições, que parecem ser sutis num primeiro momento, acabam ficando explícitas, sendo impossível não pegar os temas abordados e parar pra pensar na nossa própria vida.

BoJack Horseman pode não ter um visual muito atrativo a primeira vista, mas é uma das melhores e mais inteligentes animações adultas da atualidade.

0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário