A Fúria dos Reis - George R.R. Martin

9 de novembro de 2019

Título: A Fúria dos Reis - As Crônicas de Gelo e Fogo #2
Autor: George R.R. Martin
Editora: Suma de Letras
Gênero: Alta Fantasia
Ano: 2019
Páginas: 648
Nota:★★★★★
Sinopse: Da antiga fortaleza de Pedra do Dragão, às costas áridas de Winterfell, reina o caos.
Seis facções disputam o controle de uma terra dividida e o direito de ocupar o Trono de Ferro de Westeros - e estão dispostos a encarar tempestades, levantes e guerras para isso.
Nesta história, irmão trama contra irmão e os mortos se levantam para caminhar pela noite. Aqui, uma princesa se disfarça de menino órfão, um cavaleiro se prepara para encarar uma pérfida feiticeira e bárbaros descem das Montanhas da Lua para saquear os campos.
Em um contexto de incesto e fratricídio, alquimia e assassinato, a vitória será dos homens e mulheres que possuírem o mais frio aço... e o mais frio coração. Pois, quando se desperta a fúria dos reis, a terra inteira treme.

Resenha:  Dando continuidade aos conflitos apresentados no livro anterior, A Fúria dos Reis apresenta ainda mais ameaças em meio às diversas tramas políticas dessa guerra que está por vir.

Depois que um cometa vermelho corta os céus, algumas profecias começam a surgir, mas nada se equipara ao caos que se instaurou nos Sete Reinos. Depois da morte de Ned Stark e da separação dos membros da família Stark, Joffrey Baratheon reina com tirania, mas mesmo com Tyrion Lannister como sua mão, numa tentativa de amenizar os estragos causados pelo rei, não consegue impedir uma grande guerra civil.
Seis facções/casas entraram na disputa pelo poder, com o objetivo de ocupar o Trono de Ferro de Westeros. A ideia de Joffrey não ser o herdeiro legítimo do trono deixou o povo em polvorosa, e agora o irmão mais velho de Robert, Stannis Baratheon, se alia a uma misteriosa religião encabeçada por Melisandre, a sacerdotiza vermelha que serve o Senhor da Luz, para formar um exército que vai lutar para que ele consiga o que é seu por direito. Stannis foi convencido de que ele é o guerreiro profetizado que salvaria o mundo de uma grande escuridão iminente. Em contrapartida, Renly Baratheon, irmão mais novo de Robert, também se acha merecedor de ocupar o trono e se autoproclama rei, e se alia à Casa Tyrell.
Nas Ilhas de Ferro, Balon Greyjoy também é coroado rei, e um plano de vingança começa a ser tramado.
Com tantos reis em busca de um único objetivo, surgiu a Guerra dos Cinco Reis.
Os Lannister não medem esforços para manter sua posição no trono, mas o que ninguém imagina é que um perigo muito maior está vindo de além das grandes Muralhas, ou que do Leste, uma jovem garota de cabelos quase brancos e olhos cor de violeta, em companhia de seus três dragões, quer reconquistar o que foi tomado de seus ancestrais.

Narrado em terceira pessoa e com capítulos que se alternam entre os principais personagens dessa trama fantástica, a história vai ganhando ainda mais formas e camadas, evidenciando união, conflitos e traições entre todas as casas envolvidas nessa disputa. Não nego que a história seja maravilhosa e fez um sucesso gigantesco, e os personagens vão nos surpreendendo cada vez mais, mas a escrita do autor, embora seja fluída, é prolixa ao extremo. Metade do livro envolve planos a perder de vista e execução zero. É difícil quando a história é boa e intrigante, mas a forma de ser contada nos livros é cansativa, e talvez por isso muitos preferiram acompanhar a série (eu vi a série antes de ler os livros, sorry). Mas sou obrigada a concordar que a história é cheia de surpresas, reviravoltas e muita, MUITA ação. E MUITO SANGUE.

Os personagens vão mostrando cada vez mais para o que vieram, e a medida que passam a lidar com experiências cada vez mais trágicas, vão se moldando e se adaptando à realidade conflituosa e cheia de perigos que os cerca. E os perigos são tantos que aqui nãos e pode cogitar a hipótese de se apegar a ninguém. Todos morrem, a todo momento. Ninguém está a salvo. Quando você pensa que alguém é importante e que vai mudar o rumo das coisas, lá está ele sem cabeça ou com as tripas pra fora pra te provar que não.

A inserção dos dragões de Daenerys na trama traz o ar de fantasia, e a forma como ela vai se desenvolvendo e se tornando cada vez mais forte para lutar pelo que ela quer é incrível, e o que torna sua jornada ainda mais realista em meio ao cenário de disputas, porém, por mais que ela tenha um futuro promissor, ela ainda não chegou onde quer, sofre bastante, e suas cenas acabam sendo um tanto entediantes. Os caminhantes e o perigo que eles representam não fica atrás.

O que me incomoda um pouco na narrativa do autor é o excesso de detalhes que envolvem abuso, incesto e cenas extremamente pornográficas. Talvez, dentro do contexto da época isso tenha alguma relevância, mas acho que a história poderia ser a mesma se o assunto não existisse, ou fosse tratado de forma mais sutil.

No mais, é difícil falar sobre uma história tão complexa sem dar maiores detalhes e spoilers que possam estragar a experiência de quem ainda não leu. Só posso dizer que o sucesso não veio por mero acaso, a história, mesmo que demore pra ser finalizada devido ao excesso de descrições e detalhes, realmente é incrível e supera nossas expectativas, e pra quem é fã de alta fantasia recheada de tramas políticas, é leitura mais do que indicada.

0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário