30 de janeiro de 2019

A Rainha das Trevas - Anne Bishop

Título: A Rainha das Trevas - As Joias Negras #3
Autora: Anne Bishop
Editora: Arqueiro
Gênero: Dark Fantasy
Ano: 2017
Páginas: 512
Nota:
Sinopse: Incapazes de atingir Jaenelle, a jovem Rainha, os membros corruptos dos Sangue fazem um jogo perverso de diplomacia e mentira, procurando destruir aqueles que sempre deram tudo por ela, e revertem as culpas para o seu tutor, Saetan, que passa a ser visto como a maior das ameaças ao poder instituído. Com Jaenelle como Rainha, a chacina do povo e a profanação das terras irá terminar. Porém, onde se fechou uma porta poderá abrir-se uma janela, e mesmo que Jaenelle possa contar com os seus aliados, talvez não seja suficiente: só um terrível sacrifício poderá salvar o coração de Kaeleer.

Resenha: Vários anos se passaram desde o final do segundo livro, Jeanelle agora é a jovem Rainha de Ebon Askavi e protege as terras de Kaeleer contra as sacerdotisas de Terreille, Hekatah e Dorothea, que espalham crueldade e caos por onde passam. Jeanelle se encontra numa situação um tanto delicada, pois a guerra é iminente e o rastro de destruição e morte é praticamente inevitável.

Não dá pra falar muito da história sem soltar spoilers, então, pra não estragar a surpresa, preferi falar das minhas impressões gerais. O livro é dividido em duas partes e a narrativa parte dos pontos de vistas dos personagens secundários, onde a visão deles mostra detalhes sobre a protagonista. Isso limita o leitor a saber detalhes sobre Jaenelle que os outros sabem, mas achei esse formato bem interessante. Assim como os volumes anteriores, a história traz um enredo complexo acerca de uma sociedade comandada por uma corte de mulheres que têm escravos sexuais, o que rende algumas cenas bem bizarras, mas, ainda assim, dentro do contexto daquela sociedade, o que torna a prática compreensível.

A primeira parte fica destinada ao desenvolvimento dos personagens ao estarem reunidos a fim de combater o mal, e isso acaba sendo bastante interessante, principalmente porque Daemon retorna do Reino Distorcido e finalmente poderá reencontrar Saetan, seu pai, Lucivar, seu irmão, e claro, Jaenelle, sua amada. Ele também não vai medir esforços para se vingar de Dorothea.
Um ponto bacana pra ser comentado é sobre o romance entre Jaenelle e Daemon. Ele foi destinado a ser o amante dela desde o princípio, mas Jaenelle não se importa com nada relacionado a sexo depois do trauma que ela sofreu há vários anos e que a marcou ainda no primeiro livro. Mas como ele a ama, ele não vai desistir de lutar por ela, para que ela se interesse de verdade por algo que está reservado aos dois, e a forma como esse relacionamento foi construído e desenvolvido acaba sendo um ponto bem interessante de se acompanhar.

A segunda parte já vai abordar os detalhes da dita guerra, e como Jaenelle precisará tomar decisões que irão interferir diretamente nesse problema, e independente do caminho que ela seguir, nenhum deles ficará livre da necessidade de um grande sacrifício.

Os detalhes são feitos de uma forma bem minuciosa, e em alguns pontos penso que a autora pecou pelo excesso, mas o enredo acaba sendo tão envolvente e cheio de sensualidade, que é possível relevar, principalmente se levarmos em consideração que há um guia onde podemos consultar informações sobre as Joias e a hierarquia das personagens. Mesmo com tantas informações de fácil acesso, a leitura deste livro, e dos anteriores da trilogia, requer uma atenção a mais devido a complexidade e aos inúmeros detalhes, mas depois que a gente se acostuma com o estilo de narrativa da autora, é impossível não continuar preso a esse universo incrível.

A edição do livro é super caprichada, e a capa vazada dispensa comentários, de tão linda.
Pra quem procura por uma trilogia fantástica e bastante original, que fala sobre vingança, traições, lealdade, amor e muitas emoções, é leitura mais do que indicada.


0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário