9 de fevereiro de 2018

Nossa Música - Dani Atkins

Título: Nossa Música
Autora: Dani Atkins
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Ano: 2017
Páginas: 368
Nota:
Sinopse: Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte.
Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.

Resenha: No passado, Ally e Charlotte poderiam ter sido muito amigas se não fosse por David. Ele foi o primeiro amor de Ally, mas tudo terminou numa grande desilusão para Ally quando ele não só escolheu ficar com Charlotte, como também se casou com ela.
Anos se passaram desde então, e Charlotte se casou com Joe, mas nem ela e nem Ally esperavam enfrentar mais uma peça do destino: Ally recebe a notícia de que Joe se afogou num lago numa tentativa de salvar um garotinho, e Charlotte também recebe a notícia de que David sofreu um ataque do coração. Agora, apreensivas, as duas se reencontram na sala de espera no hospital, onde seus maridos estão internados e lutando pela vida. E frente a frente, elas se deparam com incertezas e mágoas do passado que ainda não foram totalmente superadas, e terão de repensar as decisões tomadas a fim de salvarem aqueles que elas mais amam.

Narrado em primeira pessoa através dos pontos de vista de Ally e Charlotte, o leitor acompanha uma história que se desenrola mostrando tanto o presente, quanto flashbacks de várias situações de anos atrás das protagonistas a fim de que tudo possa ser explicado. Como se conheceram e que papel fizeram na vida uma da outra, assim como seus maridos e a relação inicial de todos. Senti que em alguns pontos a história se tornou um pouco confusa e com trechos que trouxeram uma carga emocional super intensa, como se tivesse sido inserida alí pra fazer qualquer um desabar em lágrimas, e realmente, é um livro pra nos fazer chorar como se não houvesse amanhã. Com o progresso da leitura, embora o leitor fique próximo dos dilemas das duas mulheres ao relembrarem o passado de uma forma tão vívida, e ainda possa não concordar com o fato de que a amargura e a complacência podem andar de mãos dadas, as coisas vão ficando mais claras.

A construção dos personagens também foi muito boa. Há aqueles que vamos nos simpatizar e nos identificarmos mais do que outros. Alguns são bem cativantes e é impossível não torcemos pela felicidade deles, enquanto outros tem personalidades e comportamentos que podem desagradar, principalmente se nos colocarmos na pele dos envolvidos ou se já tivermos vivido algo parecido.

Charlotte é apresentada como uma mulher determinada, mas pra mim tudo o que ela fez foi pensando em si. Não me agrada nada acompanhar uma mulher que se intromete e interfere na vida de um casal, ou se aproveita da fragilidade do relacionamento para se aproximar daquele que lhe interessa. Tanto homem no mundo, pra que insistir numa aproximação de um que é comprometido?
E é aí que entra David, pois sendo tão gentil e atencioso, ele "não percebeu" que ter permitido a aproximação de Charlotte fez com que seu relacionamento com Ally fosse afetado de forma negativa, até que eles se separaram e a outra bonita pudesse investir livremente. É de fazer qualquer um ficar indignado, convenhamos. E não importa que haja justificativas, não é algo que eu admire seja na realidade ou na ficção...
Mas, arrasada e com o coração em frangalhos por ter perdido aquele que ela considerava o amor de sua vida, eis que surge o maravilhoso Joe. Ele não tinha nada a ver com a história anterior, mas mostrou que é um homem com H maiúsculo quando deu conforto e mostrou interesse por Ally através de pequenos grandes gestos. A paixão foi recíproca e o relacionamento engatou, mas Ally jamais esqueceria David...

A autora conseguiu construir uma trama realista, e que mostra que nem tudo na vida é um conto de fadas onde todos saem felizes e saltitantes depois de enfrentarem situações difíceis, principalmente aquelas que reviram e tocam numa ferida do passado que parece não ter cicatrizado.
Muito do que a autora conta na história fica subentendido, nas entrelinhas, e acho isso um ponto super positivo visto que existem coisas que não requerem explicações minuciosas.

Este é um livro que fala sobre as escolhas da vida, boas ou más, e o quanto isso pode ser um fator determinante futuramente. Às vezes pensamos que algo ficou pra trás, quando na verdade aquilo sempre esteve ali. Às vezes não paramos pra pensar que a lei do retorno existe, e mais cedo ou mais tarde alguém vai ser cobrado e terá que pagar pelo que fez e pelo que causou em outrem. Tais fatores nos fazem pensar no "e se": Será que a vida seria diferente SE outra escolha tivesse sido feita?

Amor, perdão, mágoa, amizade, família... Tudo isso, inevitavelmente, faz parte da vida, e depois da leitura de Nossa Música, fica evidente que o final feliz não é algo que devemos esperar de braços cruzados. A felicidade é construída aos poucos, mesmo que seja necessário abrir mão de certas coisas para que outras possam chegar e preencher o espaço vazio que ficou.

0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário