The Sims 4 - Desafio das Décadas - 1930

28 de novembro de 2021


O início da década:

1930 é a década da Grande Depressão, a maior crise financeira que ocorreu na Terra da Liberdade. O desemprego assolou a população, tudo ficou desvalorizado, perda e prejuízo pra todo lado.

Obs.: Eu não consigo ter 100% de controle sobre os Sims que vivem fora da casa principal porque já chegou num ponto onde são mais de 50 deles. Entro nas outras casas pra fazer os casamentos e as mudanças de casa necessárias pra poder distribuir melhor os casais e formar as novas famílias, mas, como a autonomia deles fica ligada, os filhos que nascem e as mortes que acontecem muitas vezes eu só vejo depois, por isso acaba sendo mais um resumo do que aconteceu do que qualquer outra coisa.

A Casa:



Devido à crise, a única mudança que fiz na casa foi a pintura, um telhado na varandinha, e uma estufa pra Amabella cuidar da horta. A hora é de economizar o máximo possível.

A vida e a saga da família:

Com a morte de Federico logo no início da década, o sobrenome da família na casa principal agora é Burke, e a única Gallo que restou na casa foi Alicia. Os outros filhos de Federico Amélie estão espalhados por aí vivendo suas vidas muito bem, ou pelo menos por enquanto... As filhas do casal eram muito estudiosas e foram crescendo bem felizes.

Paola e Claude, e Bibiana e Sam também morreram de velhice pouco tempo depois da partida de Federico. Foi um chororô danado pra todo lado.

Na casa do Dom, Mary foi a primeira a morrer. Ela se foi em meados do outono. No início do inverno, Dom também partiu deixando os dois filhos, Jacob e Gerald na casa. Embora Jacob (o loiro) já tenha se tornado adulto, e Gerald jovem adulto, eles ainda não conheceram ninguém especial para se casarem.



Giuseppe e Lucy, também idosos, não ficaram pra contar história. Eles morreram em meados do inverno e agora Leonardo, que já era adulto e entrou na carreira militar no fim da década, acabou tendo que cuidar dos irmãos mais novos, os gêmeos Paulo e Artur. Nenhum deles conheceu nenhuma pretendente ainda.



Agora que o chefe/patriarca da família na casa principal é o Jeremy, e essa é uma década onde os homens já podem fazer pequenas tarefas domésticas e cuidar das crianças, e aproveitando que o pobre coitado perdeu o emprego por causa da crise, ele vai passar um bom período em casa e aprender a cuidar das filhas e a limpar a sujeira que faz. Já está mais do que na hora dos homens começarem a fazer alguma coisa, porque ninguém aguenta.

Sem emprego e sem muita perspectiva de melhora da situação no momento, a forma de conseguir dinheiro é sair por aí vasculhando o bairro para vender o que for encontrado, mas com o dinheiro que a família tem na poupança, acredito que não vai ser necessário por enquanto. Inclusive usei código pra reduzir em 40% o dinheiro da família pra tentar simular as perdas, prejuízos e um aperto, mas o dinheiro que tinha deu e sobrou e eles não ficaram na miséria.



Isadore e Douglas estão vivendo suas vidas de um jeito mais isolado. Não procuram muito os familiares e gostam de viver na deles. Eles já estão idosos e seus filhos já estão bem crescidos. Elisa e Leon já são jovens adultos e ainda não se casaram nem têm pretendentes.

Até que enfim eu consegui fazer o mod que permite adolescentes se casarem funcionar, então aproveitei pra casar Alicia com Albert Dorf. Ele é o filho mais novo da família Dorf, já é jovem adulto e os dois já eram conhecidos pois sua irmã mais velha, a Heidi, se casou com Pablo. Alicia se mudou pra casa dos Dorf depois de se casar e não ficou muito feliz de dividir a casa com a sogra e com seus cunhados, Heiki e Hans. A sogrona já é idosa, ficou viúva na década passada e acredito que em breve ela parte dessa pra melhor, mas Heiki é a solteirona rabujenta que não está interessada em se casar e não está nem um pingo a fim de sair da casa dos pais... Prevejo algumas intrigas e confusões nessa casa... Alicia se tornou jovem adulta e uns dias depois descobriu estar grávida.



Bernard Lizandra estão bem felizes morando na região da Praça Antiga em Windenbug. Tem uma pracinha lá com vários tabuleiros de xadrez e Bernard adora passar um tempo alí. Ângela já é adolescente e Jessica, a segunda filhinha que tiveram, já é criança.



Louis enfim conseguiu conquistar Liene Marinho. Eles se casaram e agora moram na casa dos pais dela, que já estão idosos. Liene ficou grávida na lua de mel e nasceu o Liam. Logo em seguida ela descobriu estar grávida de novo e nasceu a Loretta. Ao fim da década, Liam já era adolescente, e Loretta criança.



Pablo Heidi morreram de velhice, e seus filhos, Eileen (jovem adulta) e Fabrício (adolescente) estão na casa agora. Eileen sonha em se casar e ter uma família bem grandona, mas ainda não conheceu nenhum rapaz pra compartilhar seus sonhos, sem contar que ela é super protetora com seu irmão e não imagina se afastar dele.



Com a morte de Claude e de Paola, seus filhos Giovane, Muriel e Sophie ficaram sozinhos na casa. Giovane herdou a casa dos pais e quando suas irmãs se casaram e se mudaram, ele ficou sozinho. Mas logo ele conheceu Dalila Serapião, a irmã mais velha de uma família que se mudou recentemente pra uma casa do outro lado da rua. Eles se casaram e tiveram duas meninas, a Simone e a Eliana. Ao fim da década Simone era criança e Eliana uma bebê.

Muriel se casou com Hans Dorf e foi morar na casa da família dele até que a Grande Depressão acabasse e eles pudessem ir morar numa casa só deles, e lá dividiu o teto com a mesma Heiki e com sua tia Alicia (filha caçula de Federico e Amélie) que já tinha ido pra lá quando se casou com Albert.

O filho de Alicia com Albert nasceu, o pequeno Alexei, a matriarca Dorf morreu de uma insolação braba por ter ficado debaixo do sol escaldante fazendo sabe-se lá Deus o quê (e eu achando que ela ia morrer de velhice), e Muriel descobriu estar grávida logo depois. Ela não está nada feliz e vive tensa, pois além de mal ter chegado na casa e já ter se deparado com a sogra batendo as botas, um dos seus traços de personalidade, não sei porque, é odiar crianças, mas a Ana nasceu, e ela vai precisar ser uma boa mãe pra ela, tadinha...

Pouco depois de Ana ter nascido pra deixar Muriel apavorada, Alicia teve o Hanzel, e ao mesmo tempo Heiki - a chata - também teve um bebê (???), o Danilo. Acredito que foi concebido pelo divino espírito santo, porque não tem condições. Olha Britto, sinceramente. Não sei o que diabos essa criatura arrumou que engravidou de alguém que não faço ideia de quem seja, e nem na árvore genealógica da família aparece quem é o pai desse menino. Agora a casa está parecendo uma creche. Heiki se tornou idosa, está com um bebê que veio do além pra cuidar, e nem assim ela não para de caçar encrenca com as cunhadas, a amargurada. Estou chocada porque sabia que alguma bosta ia acontecer nessa casa lotada, e agora a Heiki vai levar esse segredo sobre a paternidade do seu filho sobrenatural pro túmulo. o_O
Decidi deixar a Heiki na casa mal assombrada, e mudei os outros casais pra outras casas pra viverem em paz, mas fiquei preocupada com o futuro desse menino já que a mãe dele está idosa e ela talvez não viva o bastante pra ele ter idade de morar e se cuidar sozinho... Não faço ideia do que fazer e o que pode acontecer nessa loucura. As coisas estavam boas demais pra ser verdade.



Alicia e Albert se mudaram pra Magnolia Promenade com as crianças em busca de paz, sossego e privacidade, e os dias não poderiam estar melhores enquanto ela se aventura na cozinha fazendo altas receitinhas doces sem nenhuma Heiki ranzinza pra atormentar.



Muriel e Hans foram morar em outra casa também, e lá nasceu a segunda filha do casal, a Sabina. As duas meninas são a cara, a fuça e o cabelo do pai.



Sophie, a filha mais nova da falecida Bibiana, se casou com Kennedy Bishop e se mudou pra casa dele. Ele morava com a mãe pra que ela não ficasse sozinha depois da morte de seu pai. Pouco tempo depois do casamento ela morreu e o casal ficou com a casa. Sophie ficou grávida e Lorenzo nasceu. Ao fim da década seu marido já estava idoso e seu filho criança.


Os filhos de Bibiana, John e Carlos também não poderiam ficar solteiros e sozinhos, coitados. Sendo assim, John se casou com Milena Serapião e Carlos de casou com Catrina, as duas são irmãs da Dalila, que se casou com o Giovane, primo deles. Carlos se mudou com Dalila para a casa dos pais dela, que já eram idosos, e antes do fim da década eles morreram. Eles herdaram a casa, ainda não tiveram filhos e estão curtindo a companhia um do outro enquanto podem. Quando as crianças vierem, a paz dos pombinhos vai acabar.



Voltando a casa principal dos Burke, no final da década, as filhas de Amabella e Jeremy já podiam se casar. Quem se casou primeiro foi a filha do meio, a Diana. Ela ainda era adolescente quando conheceu o jovem advogado solteiro e mais cobiçado da vizinhança, o Estevão Notti, e foi amor a primeira vista. Lisbeth, a mais nova, também ficou encantada com a beleza do Estevão e sempre ficava toda paqueradora quando ele estava por perto, mas ele só tinha olhos pra Diana e nem quis saber da irmã dela. Diana só aceitou o pedido de casamento do Estevão depois de ele ter feito umas 4 tentativas, quase se humilhando, coitado. Até lá ela já tinha virado jovem adulta.



Ao se casar, Diana quis sair de casa e ir morar com seu amor. Depois da lua de mel ela ficou grávida, e antes da virada da década, ela teve um casal de gêmeos com Estevão, a Cecília e o Gustavo.


Carla, a mais velha, também não ficou atrás e foi a próxima a se casar. Ela era jovem adulta quando conheceu e se casou com Cameron Twist, um jovem chef de cozinha que sonha em ter o próprio restaurante um dia. Após o casamento, Cameron se mudou pra casa dos Burke pois Carla não quis deixar os pais agora que estão idosos e podem partir dessa pra melhor. Ela ficou grávida logo depois do casamento e ao final da década estava parecendo um grande botijão de gás que estava prestes a explodir parir a qualquer momento.



Lisbeth, apesar de ser adolescente e nunca ter se envolvido com nenhum rapaz, é super romântica e começava a flertar na presença de qualquer um que ela ache interessante. Nem o Estevão tinha escapado de seus olhares até se casar com sua irmã... Como se trata de uma época onde a vida das mulheres ainda era muito limitada e mal vista caso não se "comportassem", Jeremy tratou de apresentar a filha ao jovem Elias Fordd para evitar a fadiga. Ele é um pintor em início de carreira e sem muita experiência que, diferente da grande maioria dos homens da sociedade, sonha em ser um grande artista. E, como Lisbeth também se interessa muito por artes depois de ter aprendido a pintar quadros com sua avó, a conexão e a afinidade entre os dois foi praticamente instantânea e eles não esperaram nenhum segundo pra se casarem e viver esse amor. Lisbeth está pensando em abandonar a escola pra se dedicar ao marido e aos filhos que pretende ter. Ela também não saiu da casa dos pais depois de se casar.

Com a família aumentando (de novo), a poupança aumentou com o dinheiro que os genros de Jeremy trouxeram pra casa, e o que foi perdido com a crise, acabou sendo recuperado, em dobro. Com um saldo de quase 50mil, já estou programando a próxima reforma, e vamos ver quais serão os desafios que a década de 40 reserva pra todos eles...
0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário