3 de maio de 2018

A Parte que Falta Encontra o Grande O - Shel Silverstein

Título: A Parte que Falta Encontra o Grande O - A Parte que Falta #2
Autor: Shel Silverstein
Editora: Companhia das Letrinhas
Gênero: Infantil/Infantojuvenil
Ano: 2018
Páginas: 120
Nota:
Sinopse: Na continuação do clássico A parte que falta, Shel Silverstein reflete com sua poesia singela e emocionante sobre amor-próprio e completude. Um livro infantil para todas as idades. A parte que falta está em busca de alguém para completar. Após ser abandonada pelo ser circular, ela aguarda um par perfeito em que possa se encaixar. Ela quer conhecer o mundo, e precisa de alguém que a faça rolar. Mas muitos seres não sabem nada sobre encaixe, outros já têm partes demais e alguns não sabem nada de nada. A parte que falta até encontra um encaixe perfeito, mas sua jornada juntos dura muito pouco. Até que ela se depara com o Grande O, um ser completo, que rola sozinho, e que pode dar a ela um ensinamento que mudará seu modo de enxergar a vida.
Nesta história, leitores de todas as idades vão refletir junto com a parte que falta sobre como podemos nos transformar e descobrir como evoluir nosso amor-próprio. Afinal, será que não podemos todos rolar por nós mesmos em nossas jornadas? 

Resenha: Dando continuidade a proposta maravilhosa - e super necessária - A Parte que Falta do autor Shel Silverstein, A Parte que Falta Encontra o Grande O traz uma nova visão da história, mostrando, desta vez, a trajetória da parte que, após ter sido deixada pra trás, procura por algo ao qual ela possa preencher e se encaixar.


O problema é que justamente por ser pontuda e incapaz de rolar, ela está em busca de alguém que a acolha e a faça rolar, mas quando se depara com o Grande O, um ser circular, totalmente completo e que rola sozinho por aí, ela acaba conseguindo enxergar a vida por um ângulo novo e bem diferente...

Com os mesmos traços do livrinho anterior, com pequenos diálogos simples e ainda mais objetivos, a mensagem deste conseguiu me tocar ainda mais, pois mostra que por mais difícil que seja, e por mais que possamos sair das nossas zonas de conforto, a mudança é algo necessário e bem vindo quando o assunto é o amor próprio e a nossa evolução pessoal.


A felicidade jamais vai ser algo pleno e constante, todo mundo sabe que a vida é cheia de altos e baixos e que isso faz parte... Porém, acreditar que a felicidade só pode ser encontrada em outra pessoa e ficar esperando por isso eternamente é, sim, um erro comum... Logo, basta ter um pouquinho de coragem para se arriscar, e assim seguir em frente para que possamos nos moldar à uma realidade onde caminhar rolar por conta própria seja algo natural e fácil, e assim nos aceitarmos como somos e sermos felizes com nós mesmos sem depender de nada ou ninguém, antes de darmos essa chance aos outros...

0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário