Maus - Art Spiegelman

2 de abril de 2021

Título: Maus
Autora: Art Spiegelman
Editora: Quadrinhos na Cia
Gênero: HQ/Graphic Novel
Ano: 2005
Páginas: 296
Nota:★★★★★
Sinopse: Maus, rato em alemão, é a história de Vladek Spiegelman, judeu polonês que sobreviveu aos campos de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art Spiegelman. O livro é considerado um clássico moderno das histórias em quadrinhos. Foi publicado em 2 partes, a primeira em 1986 e a segunda em 1991. No ano seguinte, o livro ganhou o prestigioso Prêmio Pulitzer de Literatura. A obra é um sucesso estrondoso de crítica e público. Desde que foi lançada, tem sido objeto de análises e estudos de especialistas em diversas áreas, como artes, história, literatura e psicologia. Em nova tradução, o livro é agora relançado com as 2 partes reunidas num só volume. Nos quadrinhos, os judeus são desenhados como ratos e os nazistas como gatos, e, americanos como cachorros e poloneses como porcos. Esse recurso, aliado à ausência de cor nos quadrinhos, reflete o espírito do livro: trata-se de um relato incisivo e perturbador que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto. Art, porém, evita o sentimentalismo e interrompe algumas vezes a narrativa para espaçar a dúvidas e inquietações. É implacável com o personagem principal, seu próprio pai, retratado como destemido e valoroso, mas também como mesquinho e racista. De vários pontos de vista, uma obra sem equivalente no universo dos quadrinhos e um relato histórico de valor inestimável.

Resenha: Na década de 80, o sueco Art Spiegelman iniciou algumas entrevistas com seu pai sobre as experiências vividas por ele na Segunda Guerra Mundial, e criou vários quadrinhos baseados nessas conversas. O resultado foi o lançamento do clássico moderno Maus (rato em alemão), que ganhou o prêmio Eisner em 1991 e o Pulitzer de Literatura em 1992. No Brasil ele foi publicado num em 2005 pelo selo Quadrinhos na Cia da Editora Companhia das Letras.
Confesso que apesar de ter lido Maus em 2012, eu ainda não sabia exatamente o que e como escrever sobre essa obra prima devido ao impacto que causou em mim, fui adiando a resenha até que esqueci, e agora, por ter sido convidada pela mybest Brasil para falar um pouquinho da minha Graphic Novel favorita, nada mais justo do que escolher essa obra clássica e super importante.

Quer conferir mais dicas e resenhas sobre HQ's, Mangás e Graphics Novels feitas por outros influenciadores literários? Espia aqui: https://mybest-Brasil.com.br/19524

Maus vai mostrar o ponto de vista de Vladek Spiegelman, um sobrevivente polonês de Auschwitz e de Dechau, famosos campos de concentração onde os judeus tiveram seus destinos marcados pra sempre. Vladek dá seu relato de quando era jovem e se casou com Anja, até ter sido confinado nos campos de concentração, onde presenciou e foi submetido às mais terríveis atrocidades cometidas pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. O próprio autor da obra, filho de Vladek, vai descobrindo aos poucos a história trágica do passado do pai; da mãe; e do irmão, Richieu. O interesse de Artie pela história e a profundidade do relato de Vladek constroem um retrato verídico, dramático e muito cruel acerca do sofrimento vivido em meio aos horrores do Holocausto. Também é possível notar características estereotipadas de um típico judeu em Vladek enquanto ele narra sua história: além de ranzinza e birrento, percebemos que sua experiência da guerra deixaram marcas indeléveis que acabaram mudando sua personalidade, sua visão de mundo e o transformou numa pessoa diferente do que fora antes do ocorrido.
(pág. 61)
Ilustrado em preto e branco e com figuras metafóricas onde os judeus são apresentados como ratos, os nazistas como gatos, os americanos como cães, dentre outras comparações do tipo onde cada país é representado por um animal diferente, acompanhamos uma história de luta e sobrevivência contada de forma tão inteligente quanto triste. Os quadrinhos e os pequenos diálogos retratam fatos históricos fortes e pesados de uma maneira que, ao mesmo tempo que incomoda, instiga o leitor e o faz questionar sobre liberdade, igualdade e moralidade. Algumas cenas são tão fortes que é impossível não ficar com os olhos cheios de lágrimas.
Existe alguns erros de concordância propositais nas frases, visto que se tratam da representação dos sotaques estrangeiros dos personagens.

Para quem quer saber mais sobre o Holocausto e procura por algo diferente do encontrado em livros com textos maçantes, vai encontrar em Maus uma história baseada em relatos reais de alguém que sobreviveu à Segunda Guerra, com trechos tocantes e ilustrações intensas o bastante para mexer com nossos sentidos, nos fazendo questionar sobre a humanidade ter falhado e ter ido tão longe de si mesmos. Esse é o tipo de leitura que deveria ser obrigatória, seja para fins de estudo, ou para tentarmos entender até onde alguém pode chegar em busca de poder.

0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário