30 de abril de 2016

Caixa de Correio #50 - Abril

Como de costume, último dia do mês é dia de Caixinha \o/
Teve presente de aniversário, teve livro que ganhei na Bienal de MG, teve cortesia, teve comprinhas com mega desconto! *o*
Bora espiar o que chegou em Abril?

29 de abril de 2016

Novidades de Abril - Gente

100 graus – O Ponto de Ebulição do Sucesso - Rafa Prado
Vemos todos os dias pessoas completamente infelizes com seus resultados e com o futuro profissional que lhes espera. A maioria delas vêm de um ciclo de descrédito em si mesmas e tem medo de começar um negócio novo ou mudar de carreira, afinal, foram ensinadas que tudo era muito difícil de se conseguir.
Rafa Prado é um empreendedor improvável e pretende mostrar que é apenas um detalhe que distancia sua vida atual daquela que você sempre sonhou. Como a água, que quando atinge 100 graus, torna-se vapor e expande, dominando o ambiente em que está, as pessoas também podem direcionar seu destino para esse grau da virada, dando início ao seu processo de expansão.
Você prefere congelar ou entrar em ebulição? A vida é feita de escolhas e é importante escolhermos sempre expandir nosso potencial. Não tenha medo de errar, é você quem escreve a sua história.

As Leis Invisíveis do Dinheiro - Ricardo Melo
Todos têm o desejo de enriquecer para de alguma forma melhorar suas vidas, mas o fazem desconectados de suas emoções e necessidades, pois muitas pessoas não enxergam a relação entre o desenvolvimento financeiro e o espiritual. Isso é o que tem tornado o mundo mais materialista a cada dia.
É necessário alinhar as expectativas financeiras a espiritualidade, pois conhecer-se e educar-se de acordo com aquilo que é de real valor para você ajuda a analisar aquilo de que você precisa de fato para, assim, desenvolver a estratégia mais adequada para o seu perfil investidor.
Ricardo Melo propõe um sistema que vai ajudá-lo a se desenvolver como “ser humano” à medida que enriquece, investindo de maneira alinhada com os valores que mais fazem sentido em sua vida, mostrando que é possível enriquecer com muita felicidade a seu redor.

Cidade Saudável - Marco Bertaiolli
Um dos principais problemas do País, atualmente, é o acesso à saúde. Na maioria das localidades, existem poucos hospitais para atender um número imenso de pacientes e, em grande parte das vezes, seus problemas não deveriam ser levados até ali. Isso ocorre porque há deficiência na rede primária de saúde, assim como faltam atendimento para casos de média complexidade e vagas para exames de diagnóstico, além da inexistência de sintonia entre as diversas unidades.
Marco Bertaiolli, prefeito de Mogi das Cruzes, inovou o sistema de saúde em sua Cidade. Com um novo modelo de gestão, integrou e colocou sob o manto da Municipalidade todos os serviços de saúde, acabando com a peregrinação do paciente por assistência especializada. O leque de investimentos feitos no setor incluiu um Hospital Municipal para suprir os maiores gargalos de atendimento, como as cirurgias ginecológicas.
A maior intenção do prefeito foi garantir um serviço público de qualidade a todos aqueles que precisem ou procurem. E com este livro, Bertaiolli pretende apresentar um novo caminho para a saúde pública no Brasil, fazendo com que o que ele conseguiu construir em Mogi das Cruzes possa servir de referência para o País.

Sonhar Alto, Pensar Grande - Theunis Marinho
O mercado de trabalho hoje é altamente competitivo. A pressão por resultados em condições adversas e o estresse decorrente disso, dentre outras condições, muitas vezes funcionam como desestimuladoras, e as pessoas acabam desistindo de fazer tudo aquilo que precisariam para ser bem-sucedidas na profissão. Podemos comparar o caminho para alcançar uma carreira promissora à escalada de uma montanha alta e fria como se fosse um Everest Corporativo, cheio de desafios que dificultam a subida. Assim, ninguém chega ao topo por sorte: é preciso muito suor e determinação para alcançá-lo.
A partir de sua história de conquistas, Theunis nos mostra que a persistência é um dos segredos nesse caminho, e o topo promete uma vista incrível.


27 de abril de 2016

Novidades de Abril - Planeta de Livros

Você Se Lembra de Mim? - Megan Maxwell
Alana é uma mulher independente que não acredita no amor e tem na profissão sua única razão de viver. Jornalista freelancer, é enviada a Nova York para escrever uma reportagem sobre a metrópole, onde conhece o atraente Joel Parker. Quando ela descobre que aquele homem bonito e sedutor que tem lhe feito companhia nos últimos dias é um militar, como seu pai uma lembrança que ainda a assombra , a jornalista desaparece sem deixar vestígios. Apesar de resoluta em sua vontade de se afastar do capitão da Marinha americana para não repetir a história de sofrimento de sua mãe, ela não conseguirá aplacar o desejo de seu coração por Parker. Quem vencerá essa disputa entre razão e emoção? O passado de sua mãe irá assombrá-la ainda mais ou irá ajudá-la a esclarecer muitas questões mal resolvidas?

Mães que Oram pelos Filhos - Angela Abdo
Mães que oram pelos filhos foi baseado nas experiências e nas aprendizagens das mulheres que participam do grupo de mães que oram pelos filhos da Paróquia São Camilo de Léllis (ES). Conforme se envolviam com o grupo e se entregavam mais confiantemente à ação de Deus, compreenderam que não há oração mais poderosa do que a de uma mãe que intercede por seu filho. Elas acabaram percebendo que essa compreensão era capaz de transformar sua vida e a de sua família.
Nesta obra, as mães que participam do grupo compartilham suas motivações, as dificuldades que enfrentaram e as bênçãos que receberam do Senhor. O livro apresenta uma metodologia com dicas que poderão ajudar mulheres de outras regiões a se envolverem na batalha espiritual de proteção aos filhos, que elas mesmas travam todos os dias.
Além disso, Mães que oram pelos filhos lança uma nova luz sobre uma das mais sublimes e complexas experiências femininas: ser mãe, vocação que nos torna capazes de amar sem limites e sem condições, de doar-se gratuitamente e de entender os sofrimentos de Maria aos pés da cruz de Jesus.

Quando o Sofrimento Bater à sua Porta - Pe. Fábio de Melo
Em todas as culturas, o sofrimento humano figura como um dos assuntos mais recorrentes. Muitos ramos do conhecimento já se ocuparam dele. O sofrimento é naturalmente interessante. Ele nos instiga a uma aproximação respeitosa, pois parece condensar boa parte do significado da vida. Compreendê-lo nos oferece uma chave de leitura para todas as questões humanas. Afinal ele perpassa toda a problemática da existência. O sofrimento é o “lugar” onde reconhecemos nossa humanidade em sua crueza mais venturosa.




Profissão Repórter 10 Anos - Caco Barcellos
Comandado por Caco Barcelos, considerado por muitos o melhor jornalista da TV brasileira, o programa Profissão Repórter chega a uma década de existência com o chamado sucesso de público e de crítica. Ao longo de cerca de 250 programas, a produção semanal, exibida na TV Globo, conquistou inúmeros prêmios, foi objeto de estudo em universidades e virou referência para quem quer ser repórter. O livro Profissão Repórter 10 anos grandes aventuras, grandes coberturas comemora este aniversário trazendo o relato dos jornalistas que fizeram vinte das melhores reportagens exibidas pela TV Globo.
Mais do que apenas um relato dos bastidores, os autores das reportagens revelam um pouco da alma de cada programa onde, como diz Caco Barcelos, a estrela principal tem que ser e é a reportagem de qualidade.

26 de abril de 2016

O Primeiro Último Beijo - Ali Harris

Título: O Primeiro Último Beijo
Autora: Ali Harris
Editora: Verus
Gênero: Romance
Ano: 2016
Páginas: 448
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas | FNAC
Sinopse: “O primeiro último beijo” conta a história de amor de Ryan e Molly, de como eles se encontraram e se perderam diversas vezes ao longo do caminho. Na primeira vez em que eles se beijaram, Molly soube que ficariam juntos para sempre. Seis anos e muitos beijos depois, ela está casada com o homem que ama. Mas hoje Molly percebe quantos beijos desperdiçou, porque o futuro lhes reserva algo que nenhum dos dois poderiam prever…
Esta história comovente, bem-humorada e profundamente tocante mostra que o amor pode ser enlouquecedor e frustrante, mas também sublime. Na mesma tradição de P.S. Eu Te amo e Um Dia, O Primeiro Último Beijo vai fazer você suspirar e derramar lágrimas com a mesma intensidade.

Resenha: A história começa em 2012 e somos apresentados a Molly Carter, uma fotógrafa bem sucedida que está na casa dos trinta e nos conta como chegou onde está e, principalmente, nos conta sobre seu primeiro grande amor, Ryan.
Molly e Ryan se conheceram quando ainda eram adolescentes. Enquanto Ryan era muito bonito e muito popular, Molly era a garota sem muitos atrativos que pudesse chamar atenção de alguém. Por mais que Molly tentasse disfarçar ou negasse pra si mesma, ela se apaixonou por Ryan desde o primeiro contato que tiveram, o sentimento era recíproco e eles ficaram juntos. Mas até quando?

O Primeiro Último Beijo traz uma história desenvolvida de forma muito doce e com um dos significados mais bonitos que já tive o prazer de ler num livro. As referências cinematográficas e musicais que estão presentes também são muito boas pois conseguem mostrar um pouco da personalidade de Molly e seus gostos pessoais.
Narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Molly, acompanhamos a protagonista em diversas fases da vida assim como as mudanças pelas quais ela passou que acabam sendo um choque de realidade para quem lê. A ideia de que o amor entre duas pessoas é perfeito está explícita, mas através de Molly fica claro que, às vezes, duas pessoas que se amam muito podem se afastar por erros cometidos por elas mesmas.
A história se passa no presente e no passado e não existe uma linha cronológica constante de forma que a história seja linear. O tempo fica indo e vindo para que os detalhes do que passou venham à tona. Juro que me senti com um controle remoto na mão apertando <<REW e FF>> pois esses termos antecedem a data que aparece no início do capítulo pra mostrar quando há um retrocesso ou um avanço no tempo da situação ou cena em questão. Por um lado eu gostei desse estilo pois é possível fazer comparações de como Molly amadureceu e mudou sua forma de pensar com o passar do tempo de acordo com o que viveu. Parece confuso e até lembra um pouco um roteiro de filme, mas eu não me senti perdida em momento algum.
Enquanto Molly narra suas experiências, o leitor fica limitado a conhecer o Ryan que fez parte do passado da protagonista mas que a marcou de forma tão intensa que ela jamais o esqueceu, até que com o desenrolar da história fica claro o motivo dele ser mencionado sempre no passado e o que aconteceu com os dois. A autora consegue transportar o leitor para a realidade dos relacionamentos, mostrando como tudo nem sempre é tão fácil e que o arrependimento, de alguma forma, pode fazer parte dele.
Acompanhamos seus dilemas e dificuldades cotidianas, seus erros e acertos, os momentos felizes que compartilham. Tudo é tão real que é possível nos enxergarmos nos dois, vermos nosso próprio relacionamento sendo transformado em ficção.
Eles sempre foram muito diferentes, buscam por coisas diferentes mas o amor os mantinham juntos e firmes. Molly se contradizia quando adolescente, pois ao mesmo tempo que gostava de Ryan, ela não acreditava no amor e nem em finais felizes por não aceitar a ideia de ser pressionada por ninguém, e confesso que não gostei muito de seu comportamento quando era mais nova, mas quantas pessoas por ai deixam de aproveitar a vida por medo de tentar ou arriscar?
O que importa é que quando Molly se deu a oportunidade de tentar, embora os dois fossem muito diferentes, juntos, eles formavam uma dupla perfeita. Mas, às vezes, é necessário perder alguém pra percebermos que nunca desejamos outra coisa.

Porém, nem tudo são flores e alguns pontos me incomodaram um pouco. Ao fim de alguns capítulos há pequenos textos baseados nas experiências de Molly com descrições de beijos, como "o beijo de remorso", "o beijo desperdiçado" e afins, e por mais profundo e verdadeiros que eles sejam, me soaram como textos de autoajuda disfarçados de pensamentos e opiniões. Eu particularmente não gosto dessa estratégia para forçar lições de vida nos leitores, pois gosto de quando esses exemplos se integram ao longo da história e ficam nas entrelinhas para que sejam absorvidos através de reflexões.
Há um excesso de descrições físicas dos personagens que tornaram a leitura repetitiva em alguns pontos. Se em algum ponto as características do personagem já foram expostas, nao há a menor necessidade de ficar repetindo várias vezes, a menos que ele tenha mudado de alguma forma e isso vá acrescentar alguma coisa à trama.

A capa manteve o padrão da original e é super fofa. Foi ela que me chamou atenção ao optar pela leitura desse livro a princípio. A diagramação é simples, a fonte tem um tamanho padrão e as páginas são amarelas.

Em suma, pra quem procura por um livro que faz chorar litros sobre como fazer valer cada momento, como aproveitar cada beijo dado e sobre viver a vida com intensidade, é leitura mais do que indicada.
O Primeiro Último Beijo mostra que embora existam coisas das quais precisamos nos dedicar na vida, a maioria delas é passageira... O que importa é o amor que quebra barreiras e ultrapassa limites. É o amor que une as diferenças e dura pra sempre.

25 de abril de 2016

Namorado de Aluguel - Kasie West

Título: Namorado de Aluguel
Autora: Kasie West
Editora: Verus
Gênero: Romance/Juvenil
Ano: 2016
Páginas: 252
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Gia Montgomery é uma das garotas mais populares do colégio e tem um nome a zelar. Ela não pode simplesmente aparecer sozinha em pleno baile de formatura. Então, quando se vê sem acompanhante para a festa, Gia é obrigada a tomar medidas drásticas. Como arrumar alguém para se passar por namorado dela assim, de uma hora para outra? Talvez aquele garoto sentado no caro, parecendo tão entretido com um livro, seja a resposta para todos os seus problemas...

Resenha: Namorado de Aluguel, escrito pela autora Kasie West (a mesma de Encruzilhada) foi publicado no Brasil pela Verus.
O livro traz a história de Gia Montgomery, uma garota inteligente, bonita, cheia de amigas descoladas e ainda namora Bradley, um universitário lindo de viver.
Mas quando Jules passa a integrar seu grupo de amigas, as coisas começam a desandar. Jules é maldosa e não hesita em infernizar a vida de Gia, desde fazer comentários imbecis até acusar a garota de que seu namorado é pura invenção.
Mas o baile de formatura iria desbancar essa cretina... Gia iria esfregar na cara de todas as meninas que Bradley é real e é um verdadeiro gato, mas o que ela não esperava era ser dispensada por ele em pleno estacionamento, antes mesmo de apresentar o moço às amigas. Desesperada para manter sua posição de garota comprometida pra não ter risco de ser taxada de mentirosa, passar vergonha e perder a amizade das meninas, a saída para dar um jeito nesse problema foi recrutar o primeiro garoto que ela viu dando sopa no estacionamento do baile. E daí que ele estava desgrenhado e tinha cara de nerd? Ele se passaria por seu namorado só por algumas horas até que o baile acabasse, assim ela provaria que não tinha inventado nada até que ela pudesse, enfim, tentar reconquistar seu ex.
Mas alguns dias depois ela ainda se pega pensando naquele garoto misterioso que ela nem sabe o nome e em como a situação parece estar pendente...

Por já conhecer o estilo de escrita da autora, já iniciei a leitura empolgada, esperando fluidez, leveza e perfeição na descrição de cada detalhe importante e que faz diferença na história. Não há encheção de linguiça, nem floreios e nada é feito nas coxas. A narrativa é feita em primeira pessoa, prende e apresenta personagens carismáticos (alguns nem tanto), reais e muito bem construídos.

Embora caia no clichê e seja bastante previsível, a história é bastante meiga é cheia de profundidade em seus significados, e mostra que por trás de todas essas questões e confusões adolescentes há algo além que nos mantém ligados e envolvidos à trama.
Por mais fútil que pareça, Gia carrega uma grande carga dramática em si. Ela sempre expôs a vida em busca de popularidade, como se ter curtidas e seguidores fosse algo vital, mas por dentro ela é diferente, não faz isso por maldade e é insegura. Ela só quer a aprovação dos outros para sentir que é aceita e por isso faz besteiras sem pensar nas consequências.
E quando aquele garoto surge em sua vida como namorado de aluguel, Gia percebe que ser popular pode passar uma imagem um tanto quanto superficial. Ser fútil e vazia não era sua intenção e aparecer e chamar tanta atenção não a torna mais interessante... Logo Gia se encontra enfrentando vários conflitos pessoais e com ajuda desse fofo, ela consegue, aos poucos, entender quem ela é na verdade.
Ele é um doce de rapaz e foge de estereótipos de que só bad boys conseguem dar um up nas mocinhas. Ele é sensível e respeitoso e, o mais legal dele é que ao ajudar Gia, ele acabou vendo mais de si mesmo ao ponto de se encontrar também. Ao unir esses fatores, o romance se torna delicado e cresce de forma gradual e natural, sem parecer forçado ou apressado.
Em meio ao enredo, mesmo abordada com bastante sutileza, fica evidente a dura crítica à geração atual que vive constantemente a mercê das redes sociais, expondo a vida do jeito que ela não é e tentando passar uma imagem que está longe da realidade de forma desenfreada, inconsequente e impensada sem levar em consideração que tudo que é feito em excesso pode trazer riscos e perigos. A partir do que Gia faz ao se deixar levar pela ideia de ser popular, é possível refletir acerca dos problemas reais que suas ações lhe trazem e tal reflexão pode ser trazida para a vida real para que os olhos dessa geração se abram bem para a situação em que vivem.

A capa é uma graça e confesso ter optado pela leitura por ela sem sequer ler a sinopse de antemão. Depois é que fui conferir a autoria da obra e sem ler a sinopse fui fisgada.
A diagramação é simples, mas com detalhes que a tornam bem especial. Os capítulos são numerados e iniciados com uma fonte cursiva que parece ter sido escrita a mão

Namorado de Aluguel é um livro deliciosamente bem escrito, fofo e delicado, com toques de muito bom humor e recheado de pequenas lições que servem pra vida de todos nós. Pra todos aqueles que procuram por uma leitura leve, que aborda amizade e amor, e que gostam de histórias com um romance surpreendente, que envolvam o universo adolescente retratando uma jornada inesperada e muito gostosa de se acompanhar, é leitura mais do que indicada. Às vezes, a busca pelo amor é o que nos leva a nos encontrarmos...

24 de abril de 2016

A Profecia do Paladino - Mark Frost

Título: A Profecia do Paladino - A Profecia do Paladino #1
Autor: Mark Frost
Editora: Galera Record
Gênero: Fantasia/Thriller/Juvenil
Ano: 2016
Páginas: 420
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Will West faz de tudo para não chamar a atenção. A pedido dos pais, ele se esforça para tirar notas medíocres e não se destacar. Mas quando sua escola o obriga a fazer uma prova de desempenho geral, ele acaba se esquecendo de errar algumas respostas. Seu resultado espetacular atrai o interesse de uma das escolas particulares mais exclusivas do país, que o procura para oferecer uma bolsa de estudos. No entanto, assim que recebe essa oferta, começa a ser seguido por homens misteriosos e sedãs pretos. Ao tentar escapar de perseguidores, seus pais desaparecem e Will acaba se matriculando às pressas no misterioso colégio. Chegando à sua nova escola, ele percebe possuir talentos físicos e mentais que beiram o impossível e descobre que suas habilidades estão conectadas a uma batalha milenar entre forças épicas.

Resenha: A Profecia do Paladino é o primeiro volume da trilogia homônima escrita pelo autor americano Mark Frost e publicado no Brasil pela Galera Record. O autor é roteirista de Quarteto Fantástico e é co-criador da série Twin Peaks!

Will West é um garoto de dezesseis anos que vive sob as rigorosas regras do pai. A cada dezoito meses a família se muda de casa e isso faz com que Will acabe não tendo muitos amigos. Desde que se entende por gente, Will segue à risca a Lista de Regras de Como Viver do Papai, e nela há itens essenciais que, basicamente, não permitem que Will se destaque de forma alguma em meio as outras pessoas e é o que o manteve em segurança até agora. Embora seja muito inteligente sem ter que se esforçar pra isso, de acordo com a Lista de Regras, Will sequer poderia ir bem nas provas da escola para não chamar nenhum tipo de atenção para si mesmo.
Mas tudo muda quando algumas situações o deixam apreensivo... Ele tem a impressão de que está sendo observado e seguido mas tenta tirar tais pensamentos da mente e se concentrar em sua corrida matinal. Até que ele precisa fazer uma prova e se esquece de ir mal... Obviamente seu resultado é o melhor que a escola já viu em décadas e indo contra a Lista de Regras, ele chama muita atenção. O Centro de Aprendizagem Interdisciplinar, uma escola secreta e cheia de prestígio localizada em Wisconsin, demonstrou interesse no garoto e estava disposta a dar a ele uma bolsa de estudos integral.
A partir de então Will se encontra fugindo de um estranho grupo de homens enquanto seu pai desaparece e sua mãe está diferente. O garoto se viu obrigado a ingressar ao Centro de Aprendizagem, o único lugar que parecia seguro após tantas coisas estranhas acontecendo. Porém, a escola reserva ainda mais mistérios do que o garoto imaginou e Will parte em busca de respostas.

O livro é narrado em terceira pessoa com vários trechos desacados em itálico mostrando os pensamentos de Will. A escrita é bastante fácil e tem um ritmo acelerado.
Pra ser sincera, o enredo de forma geral não é lá muito original. Em diversos momentos me peguei pensando em Percy Jackson pelo fato de que, de acordo com os acontecimentos, o protagonista vai parar num lugar especial onde descobre quem é na realidade, mesmo que se meta em mais confusões...
Will é um protagonista sarcástico, cheio de tiradas inteligentes e sacadas geniais. Ele não se deixa intimidar e mesmo que tenha vivido obedecendo e seguindo as regras do pai com extrema disciplina e dedicação, ele não gosta de limites. Mas é bem perceptível que por trás de todas essas regras há algo grandioso a espera do garoto prodígio.
Confesso ter demorado alguns capítulos para me conectar à história mas quando isso ocorreu foi praticamente impossível largar a leitura. É aquele tipo de livro cuja história não pára, as coisas estão acontecendo a todo momento e os mistérios que se entrelaçam deixa tudo mais instigante e interessante.
Os novos amigos de Will são inteligentes por também serem prodígios e a mente engenhosa dos garotos tornam a busca por respostas crível, principalmente porque eles conseguem fortalecer o vínculo que possuem ao mesmo tempo em que superam suas diferenças. Os diálogos deles são hilários e dinâmicos e são eles que dão vida à história com suas personalidades marcantes. Confesso que eles foram o maior motivo pra eu ter apostado na leitura e criado expectativas sobre ela e afirmo que foram todas superadas!
Como disse anteriormente, a história traz passagens que lembram outras bastante conhecidas. Will se encontra em meio a uma trama em que ele descobre fazer parte de uma profecia onde irá precisar lutar contra o mal, e enquanto isso parte num jornada de autoconhecimento e amadurecimento típica. Não é original, convenhamos, mas a história, de forma geral, é merecedora de créditos pela forma como foi escrita e desenvolvida. Embora o leitor fique no escuro sem saber o que, de fato, está acontecendo, é perfeitamente possível se envolver com o mistério e com a tentativa para que ele seja solucionado.

Com relação a edição, a capa é bem bonita e caprichada, com alto relevo e verniz aplicado no título.
A diagramação é simples, os capítulos possuem títulos curiosos que dão ideia do assunto da vez sem entregar o que está por vir.
Encontrei alguns erros de revisão, mas nada que prejudique a leitura em si. Ao final do livro podemos conferir a Lista de Regras de Como Viver do Papai com suas 98 regras completas e em letras maísculas, do jeitinho que o pai de Will criou. E falando da Lista, algumas regras são verdadeiros conselhos para se levar para a vida!

Em suma, pra quem gosta de um thriller voltado ao público juvenil cheio de toques de fantasia, ação e muita aventura, é leitura mais do que indicada. Tentar desvendar os mistérios do enredo a fim de montar o verdadeiro quebra cabeças criado pelo autor é muito empolgante e estou super ansiosa pela sequência!


23 de abril de 2016

Onde Está Você - Tammara Webber

Título: Onde Está Você - Entrelinhas #2
Autora: Tammara Webber
Editora: Verus
Gênero: Romance/YA
Ano: 2016
Páginas: 308
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Quando conheceu Emma Pierce no set de filmagem de seu último longa-metragem, Graham Douglas ficou imediatamente encantado, mas Emma era o objeto de desejo do superastro Reid Alexander. Graham fez o possível para não se apaixonar por ela, até que um encontro em Nova York dá a ele mais uma chance, e dessa vez ele decide arriscar. Emma sacrificou uma carreira promissora em Hollywood para levar uma vida comum. Ela acreditava já ter superado o que sentia pelos dois caras que disputavam seu coração na filmagem de seu último trabalho, até que o destino coloca Emma em uma cafeteria no meio de Manhattan com aquele de quem ela ainda sente saudade. Brooke Cameron sobreviveu aos três meses no set de filmagem com seu belo e arrogante ex-namorado, o garoto de ouro de Hollywood. Mais velha e sábia, ela agora pôs os olhos em Graham, um grande amigo, e só há uma coisa em seu caminho: Emma, a garota que ele não consegue esquecer. Reid Alexander é capaz de resumir a própria vida em uma única palavra: tédio. Ele não tem muito o que fazer além de entrevistas, sessões de fotos e o lançamento de seu último filme. Em busca de diversão, a última coisa que ele espera é se juntar à sua ressentida ex-namorada para atingir um objetivo comum: separar Graham e Emma. O jogo começou.

Resenha: Onde Está Você, segundo volume da série Entrelinhas, dá sequência à trama de mesmo nome escrita por Tammara Webber e publicado pela Verus no Brasil.

Esta resenha pode apresentar spoilers do volume anterior!

No primeiro livro, Entrelinhas, a protagonista tem a oportunidade de contracenar um filme com Reid Alexander, o galã teen do momento. Dessa forma, conhecemos os dramas e os bastidores das gravações de Orgulho Estudantil, uma versão contemporânea de Orgulho e Preconceito, assim como os contratempos envolvendo romances e mentiras da vida dos jovens que interpretam os personagens principais da produção. Ao fazer par romântico com Reid, a química entre os dois foi além das câmeras, mas Emma não podia negar que também sentia um algo mais por Graham, que sempre nutriu sentimentos por ela desde quando a conheceu...

Desta vez, Emma decidiu abandonar sua carreira de sucesso e investir nos estudos para levar uma vida normal e longe dos holofotes, mas um encontro com Graham mostra que o sentimento não foi superado e com certeza ia muito além da amizade...
Porém, Reid está se sentido desprezado e inutil, e Brooke acredita que ela e Graham foram feitos um pro outro. E sabendo que Graham está tentando se firmar com Emma por nunca tê-la esquecido, Brooke pede ajuda a Reid para sabotar o relacionamento dos dois. Logo, a trama vira um jogo de gato e rato.

A história é narrada a partir dos pontos de vista alternados de Emma, ​​Graham, Reid e Brooke, e assim conseguimos acompanhar os pensamentos de todos eles tendo acessos a detalhes íntimos que nos fazem ter um lado a quem torcer, e claro, torcemos para que Emma e Graham fiquem livres de Brooke e Reid, dois odiosos, para serem felizes.
A escrita de Tammara é muito fluída e é recheada de cenas fofas que evidenciam o amor entre Emma e Graham, mas o que deveria acontecer pra colocar Graham no centro da trama não acontece. A luta pela honestidade como forma de confiança entre ele e Emma é o que ganha destaque, já que o que Brooke, desonesta e movida pelo rancor, está fazendo de tudo para plantar evidências pra separar os dois. E enquanto isso, Reid, que é um completo imbecil, parece só topar entrar na jogada por não admitir perder. A qualquer indício de que ele não pode ter alguma coisa, ele decide que quer aquilo sem se importar se haverá consequências, porque sim. É uma trama que parece ser muito confusa, mas a autora consegue desembolar bem a história, porém não como esperei, pois embora a história mostre personagens fortes e bastante verdadeiros em seus propósitos e sentimentos, acabei não me envolvendo tanto quanto gostaria pois a sensação que tive é que o romance simplesmente não é convincente. O final é fechado e pode até ser encarado como o fim da história já que as pontas soltas se amarraram muito bem.

Sobre o projeto gráfico da capa, só tenho elogios. Ela segue o mesmo padrão do volume anterior, fosca com aplicação de verniz sobre o título. A diagramação é simples, os trechos de troca de mensagens entre os personagens se destacam pois são apresentados dentro de balõezinhos, as páginas são amarelas e a fonte é grande falicitando a leitura. Não lembro de ter encontrado erros de revisão e de forma geral, a edição física está muito boa.

A leitura de Onde Está Você foi satisfatória apesar de eu esperar mais. Esperei por alguns eventos que acreditei que dariam um gás à história, mas eles não aconteceram, o que foi uma pena. Ainda assim não desgostei, muito pelo contrário. É um bom livro que recomendo para todos aqueles que gostam de leituras despretensiosas que são ótimas pra nos tirar de ressacas literárias.


22 de abril de 2016

Lick - Kylie Scott

Título: Lick - Stage Dive #1
Autora: Kylie Scott
Editora: Universo dos Livros
Gênero: New Adult
Ano: 2015
Páginas: 304
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: No impulso de uma noite de diversão e bebedeira em Las Vegas, Evelyn Thomas casou-se com um desconhecido. No dia seguinte, porém, ela se deu conta de que aquilo fora um terrível engano. Então, decidiu manter este pequeno deslize em segredo. O que Evelyn não sabia era que havia se tornado a esposa do cobiçado David Ferris, guitarrista da famosa banda de rock Stage Dive. Agora, ao retornar para sua casa em Portland, ela terá de enfrentar as perseguições de repórteres, fugir às loucuras das fãs do astro e ainda encarar sua família, que não demonstrou nenhum contentamento com o ímpeto matrimonial da jovem filha. Será que Evelyn conseguirá resistir às delícias de David a fim de permanecer como “a garota certinha” ou decidirá embarcar nessa glamourosa aventura junto ao marido rockstar?

Resenha: Lick é o primeiro volume da série new adult Stage Dive escrita pela autora australiana Kylie Scott e publicado no Brasil pela Universo dos Livros.

Evelyn Thomas sempre planejou os detalhes da própria vida. Sempre centrada no futuro e colocando os estudos em primeiro lugar, nunca se permitiu se envolver amorosamente e seu foco está em seus planos. Mas quando ela foi comemorar seu 21º aniversário em Las Vegas com Lauren, sua melhor amiga, e o que deveria ser uma noite de pura diversão, acaba mudando sua vida.
Depois de ter acordado no chão do banheiro do hotel com uma terrível ressaca, a última coisa da qual ela consegue se lembrar é de se divertir com Lauren, conversar com um cara e de ter enxugado vários shots de tequila! O que Ev não esperava era descobrir que aquele cara maravilhoso, seminu e cheio de tatuagens com quem ela dormiu agora é seu marido e, além de ter um anel enorme em seu dedo, o nome dele estava tatuado em sua bunda!
Logo de cara, Ev destruiu o ego do rapaz o surpreendendo, pois ela não se lembrava de nada do que aconteceu e mal sabia quem ele era na verdade. David é o guitarrista e compositor da Stage Dive, uma banda de rock famosa que rende ao rapaz uma orda de fãs histéricas e vários papparazis em seu encalço.
Acordar casada, principalmente com um astro da música (oi, Britney!), era um fator que, com certeza, não fazia parte de seus planos, logo, Ev passa a se confrontar com o dilema do divórcio e dos holofotes que pairam sobre ela depois de ter se casado com David.

Narrado em primeira pessoa, Lick é uma história despretensiosa, simples, cheia de doçura, romântica e com toques de sensualidade de tirar o fôlego. A escrita da autora é maravilhosa e viciante, com toques de muito bom humor que nos mantém presas à leitura, e a forma como as coisas são descritas dão um novo ar ao gênero.
Mesmo que o casal se conheça e se case impulsionados pelo momento de forma tão rápida, a química que existe entre Evelyn e David é inegável, e por mais clichê que a história possa parecer, a forma como é contada se torna um diferencial entre os new adults que seguem esse tipo de fórmula.
Ev é uma personagem espirituosa e engraçada, cheia de tiradas hilárias, que acaba encarando toda a situação com inteligência e leva várias coisas na esportiva a fim de contornar o que acontece. A forma como ela toma decisões e lida com a situação é satisfatória e ela se tornou uma personagem da qual passei a admirar bastante mesmo que em alguns momentos ela pareça meio songa.
Super curti a forma como eles decidem dar pra si mesmos uma oportunidade de explorar o sentimento que poderia se intensificar ainda mais enquanto aguardam a papelada do divórcio, e embora David tenha seus defeitos, ele é o tipo de cara doce, meigo e que arranca suspiros de qualquer uma. Apesar dele ter ficado desapontado com Ev por ela não se lembrar de nada na noite em que se casaram, seu maior desejo é que ela se lembre, e em meio a idas e vindas, e obstáculos que não podem faltar, claro, resta que nós leitoras, suspiremos. O que é evidenciado é que por mais que ele tenha chegado longe com a Stage Dive e amar música, ele está saturado de garotas interesseiras se jogando sobre ele, e Ev desperta seu interesse justamente por ser o contrário de todas elas...

Os demais personagens possuem a devida profundidade e são funcionais a ponto de tornar a história consistente mesmo que não tenha muita complexidade.
Mal é o baterista da banda e seu papel na história é tão bom e cativante que queria começar a ler o segundo volume, Play, antes mesmo de terminar o primeiro.
Eu só senti falta do ponto de vista de David para os acontecimentos, saber o que se passa pela sua cabeça assim como soube de Ev, pois já que a série leva o nome da banda formada por rapazes (David, Mal, Jimmy e Ben), por que a perspectiva é apenas das mulheres?

A capa, cá entre nós, é um arraso de linda. O que é esse cara com essa tatoo super foda?
A diagramação é simples, as páginas são amarelas e fiquei tão empolgada durante a leitura que nem percebi quaisquer erros de revisão.

Posso dizer que Lick trata da questão que é seguir o coração, abordando sonhos, segundas chances e a descoberta do amor da forma mais improvável, sem drama em excesso, com um pequeno toque de suspense e com romance na medida certa. É super gratificante acompanhar personagens que reconhecem os próprios erros e tentam corrigí-los, tornando-os mais verdadeiros e próximos de nós.
Mesmo que o livro faça parte de uma série, o primeiro volume é fechado. Os demais livros abordam outros personagens de forma que o aprofundamento sobre eles se torne bastante completo.

Comecei a ler sem muitas expectativas mas acabei me surpreendendo. Simplesmente adorei e recomendo a quem procura por uma história de amor fofa, descomplicada, leve e que vai mexer com nossas emoções de forma super doce.


21 de abril de 2016

Bienal do Livro de Minas - 2016

Ei, pipous!
Esse ano teve Bienal do Livro em Belo Horizonte e pra não perder o hábito e nem deixar minha paixão por livros de lado, eu fui! Aaeee!
Como a Bienal daqui é relativamente minúscula se comparada as que ocorrem no RJ e SP, o jeito é se contentar com o que teve, já que a grande maioria das editoras não investem em stands próprios, mas até que o pouco que teve foi bastante satisfatório.
Antes de mais nada, agradeço as Editoras Novo Século e Leya pelos convites de cortesia! E a Universo dos Livros por promover um encontro de blogueiros super descontraído e cheio de novidades sobre os futuros lançamentos!
Não pude participar de oficinas, palestras ou encontro com autores devido a pouca disponibilidade dessa pessoa que vos fala, mas gostei muito de tudo o que consegui ver.

20 de abril de 2016

Quarto - Emma Donoghue

Título: Quarto
Autora: Emma Donoghue
Editora: Verus
Gênero: Drama/Romance
Ano: 2011
Páginas: 350
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.
O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

Resenha: Quarto, escrito pela autora irlandesa Emma Donoghue, havia sido publicado em 2011 pela Verus e com a adaptação cinematográfica da obra o livro foi relançado em 2016.
Nele conhecemos a história de Jack, um garotinho de cinco anos que vive preso com sua mãe num quarto desde que nasceu. Há sete anos ela fora sequestrada e mantida em cativeiro e Jack é fruto dos abusos que sofreu na mão do velho Nick, o sequestrador.
Para a mãe de Jack, o quarto é uma prisão, porém, devido ao amor incondicional pelo filho, ela usa e abusa da criatividade e da paciência para que a gravidade da situação não transpasse para o garoto. Somando as atitudes da mãe à ingenuidade de Jack, o garoto acredita estar seguro e que o quarto se resume ao que o mundo tem a oferecer. Mas sua mãe sabe que é impossível levar a vida dessa forma e começa a bolar um plano a fim de tentar fugir.

O livro é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista do próprio Jack, logo ficamos limitados a sua visão e a sua forma de encarar o que lhe é mostrado como sendo um mundo. O "Lá fora" é o que o assusta já que é o desconhecido. Algumas palavras que Jack fala são escritas de forma errada de forma proposital para mostrar que uma criança nessa idade ainda está em fase de aprendizagem. A narrativa é fluída e o teor de inocência do garoto é o que mais se evidencia. A ideia de mãe e filho estarem em cativeiro sofrendo abusos constantes que se disfarçam pelo olhar do garoto causam no leitor momentos de angústia, desespero, agonia e até mesmo claustrofobia devido ao espaço minúsculo em que eles vivem.
A escassez de personagens é um ponto bastante positivo nessa obra visto que o foco está na situação vivida por mãe e filho que vivem enclausurados, mas os poucos que fazem parte da trama são importantes, consistentes e com profundidade e intensidade na medida certa para que se tornem reais.
A trama como um todo é bem desenvolvida e tira o leitor de sua zona de conforto já que é um pouco exaustiva devido a perspectiva ser de uma criança. Os diálogos que ele escuta e transcreve evidenciam a presença de adultos, dando um aspecto mais maduro e que tira o ar totalmente infantil e sem maldade de Jack.
Com o desenrolar da trama e dos acontecimentos, percebemos as mudanças drásticas que ocorrem em suas vidas, seja pela questão da obsessão que Jack tem por sua mãe, afinal, ela era a única que ele tinha contato, quanto pela adaptação que eles precisam sofrer ao encarar uma nova realidade. E a abordagem acerca do comportamento dos personagens com relação a mudanças é bastante crível e verdadeiro.

Quarto é um livro ousado, único e original, que mostra como o amor de uma mãe é incondicional e intenso. A leitura causa incômodo pela forma como mexe com o psicológico, tanto dos personagens quanto dos leitores já que aborda a violência e os abusos que muitas mulheres estão sujeitas, e serve como uma crítica social que faz com que os leitores reflitam acerca desses problemas, porém, com o grande diferencial da autora, que conseguiu inserir leveza, sutileza e muita sensibilidade para abordar essa temática.
Pra quem procura por uma leitura marcante e com uma carga emocional e psicológica intensa, é livro mais do que indicado.


19 de abril de 2016

Livro de Marcar Filmes - Increasy Consultoria Literária

Título: Livro de Marcar Filmes - Meu Diário de Viagens na Telona
Autoras: Increasy Consultoria Literária
Editora: Verus
Gênero: Livro Interativo
Ano: 2016
Páginas: 200
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Um lugar para anotar os filmes a que assistiu em diversas categorias, aqueles que conquistaram o seu coração e os que ainda quer ver, enquanto descobre os premiados, que nenhum cinéfilo pode deixar passar.

Resenha: Assim como o antecessor Livro de Marcar Livros que visava registrar nossas leituras e hábitos literários em geral, a proposta do Livro de Marcar Filmes é promover a interação do leitor ao fazer registros de tudo sobre sua experiência com filmes já assistidos ou não.

Apesar de autoexplicativo, o início do livro é cheio de instruções sobre como preenchê-lo e vai um pouco além do que um simples diário.
A ideia principal não se prende somente ao registro de filmes dos quais já assistimos e gostamos, mas também escrever de forma resumida sobre a experiência com o filme em questão, falar dos nossos atores preferidos e seus papéis marcantes, os melhores diretores e até as falas memoráveis que se tornaram clássicas, como "Hasta la vista, baby" ou "Que a força esteja com você". Se você é fã de cinema e não sabe de que filme essas frases saíram, pare.


Algumas listas de filmes já vem prontinhas, desde filmes clássicos aos mais recentes e a forma de organizar e catalogar os filmes é super fácil. Basta marcar nas caixinhas se o determinado filme já foi assistindo ou está na fila.
Começamos preenchendo o nome do primeiro filme que nos lembramos de ter assistido, o primeiro filme comprado, filmes que marcaram a infância, personagens preferidos e etc.
Seguimos pra lista dos ganhadores do Oscar, o Palma de Ouro (do cinema francês), os filmes que ganharam no Festival de Gramado, dentre outros que podemos usar como uma guia ou somente a título de curiosidade, até mesmo o Framboesa de Ouro que visa premiar as piores produções, mas achei que muitos dos filmes de prêmios que a grande maioria desconhece serviram mais para ocupar o espaço do que poderíamos anotar, já que a maioria daqueles filmes, independente de terem ganhado prêmios, muitas pessoas nunca ouviram falar, principalmente filmes argentinos, chilenos e de outras nacionalidades "esquecidas" nesse universo.

Ao separar filmes por categorias (musicais, animações, terror, drama, suspense e afins), há indicações de alguns filmes conhecidos dentro do gênero em questão seguido do espaço para nós mesmos preenchermos, avaliarmos e escrever algum comentário abaixo.


Quem gosta de fazer um registro do que já assisiu vai curtir a ideia do livro. É bem interessante acompanhar a lista de todos os filmes que já ganharam um Oscar de melhor filme desde 1929 até 2015!
Confesso que muitos dos filmes que levaram a estatueta dourada, por serem clássicos e muito antigos, não fazem muito meu estilo, e alguns nunca ouvi falar, mas admito ter tido uma grata surpresa ao reconhecer alguns nomes e relembrar de vários filmes que já assisti em algum momento e adorei, tanto pelo roteiro quanto pela atuação dos atores. A vontade é de fazer uma maratona com um balde de pipoca para rever todos aqueles filmes memoráveis que se tornaram favoritos, como A Lista de Schindler, de 1994; Forrest Gump, de 1995; Coração Valente, de 1996; dentre outros.

Mas, assim como o livro anterior, acredito que o livro tem o ponto fraco de dispôr de muito pouco espaço para fazer anotações de todos os filmes, principalmente pelo fato de que filmes são mais acessíveis e as pessoas costumam assistir muito mais filmes do que ler livros. Quem é um verdadeiro cinéfilo já assistiu milhares de filmes, acompanha o trabalho de centenas de atores e não haveria espaço para todos os registros, logo considerei a proposta do livro algo voltado para a descontração e registro dos filmes que realmente marcaram, ou como lembrete do que queremos assistir futuramente,  não como um catálogo propriamente dito.

Com relação ao projeto gráfico, este segue o mesmo padrão do livro anterior, cheio de detalhes em tons de roxo e lilás. A capa é dura (mas não tanto quanto a do primeiro livro) e com um efeito áspero que lembra uma lixa e as páginas são brancas.


Pra todos aqueles que curtem cinema e querem registrar um pouco desse hábito, o Livro de Marcar Filmes com certeza será de grande ajuda, tanto pela ideia da organização, quanto pela diversão que a interação proporciona.

P.S.: Quero um Livro de Marcar Séries. ♥