30 de abril de 2015

Caixa de Correio #38 - Especial de Abril - Aniversário Triplo!

Hey, gentem! Hoje é dia de Caixa de Correio no blogdoce!! \o/
Esse mês de abril deve ter sido o mais corrido da minha vida. Marina, minha filhota mais velha, Theo e eu fazemos aniversário nesse mês só com uma semana de diferença entre cada ahahahaha!
 #Todoscomemoram!  
E mexendo com preparativos pras festinhas (das crianças, claro) mal tive tempo de respirar. Coisa que é até normal pra ser sincera, pra variar...

Mas indo ao que importa, bora ver o que chegou pra mim em abril?

29 de abril de 2015

Selva de Gafanhotos - Andrew Smith

Lido em: Abril de 2015
Título: Selva de Gafanhotos
Autor: Andrew Smith
Editora: Intrínseca
Gênero: Weird Fiction/Sci-Fi/YA
Ano: 2015
Páginas: 352
Nota +16
Sinopse: Na pequena cidade de Ealing, Iowa, Austin e seu melhor amigo, Robby, libertam acidentalmente um exército incontrolável. São louva-a-deus de um metro e oitenta de altura, completamente tarados e famintos. Essa é a verdade. Essa é a história. É o fim do mundo e ninguém sabe o que fazer.
Com todos os elementos obrigatórios de um romance apocalíptico, Selva de Gafanhotos mistura insetos gigantes, um cientista louco, um fabuloso bunker subterrâneo, um mal resolvido triângulo amoroso-sexual e muita, muita confusão, e está longe de tratar apenas do fim do mundo.
Engraçado, intenso e complexo, o livro fala de um jeito inovador de adolescência, relacionamentos, amizade e, claro, de temas um tanto mais inusitados, como testículos dissolvidos e milho modificado geneticamente. Um romance surpreendente sobre a odisseia hormonal, amorosa e intelectual que é essa fase da vida.

Resenha: Selva de Gafanhotos, escrito pelo autor Andrew Smith e publicado no Brasil pela Intrínseca, conta a história de Austin Szerba, um garoto descendente de poloneses que vive na pacata (e fictícia) cidade de Ealing, Iowa com os pais e um irmão. Ele tem uma namorada, Shannon Collins, e um melhor amigo, Robby Brees, e gosta muito dos dois. Muito. Em todos os sentidos.
Austin e Robby estavam andando de skate pela Selva de Gafanhotos, apelido que deram pra rua da cidadezinha, mas tiveram seus pertences jogados no telhado do prédio do shopping local por um grupo de valentões que cismaram que os dois eram "boiolas". A noite os garotos decidem ir buscar as coisas mas resolvem bisbilhotar a loja do pai de Shann e acabam descobrindo coisas pavorosas: Globos com gosmas brilhantes, feto de duas cabeças, partes do corpo flutuando em algum líquido suspeito e coisas horripilantes e medonhas do tipo. Eles ficam assustados e fogem, mas conseguem testemunhar um ladrão roubando um dos globos misteriosos, que, ao cair por acidente, se mistura com sangue humano e este é o momento exato de quando começa o fim do mundo...

O estilo do livro remete ao estranho. Falando de forma superficial, Weird Fiction é um sub-gênero da Ficção que aborda elementos sobrenaturais mas ainda assim não se enquadra em histórias tradicionais de fantasmas ou vampiros, por exemplo. É algo voltado para lado sombrio e mais inquietante das histórias por mesclar terror, fantasia e ficção científica, levantando questões que muitas vezes as pessoas não entendem.

Pensar num livro absurdo e impossível ficou fácil após ler Selva de Gafanhotos. Acho que ninguém nunca irá encontrar tantas coisas estranhas e juntas num único livro como neste. É um livro que fala de tudo. TU-DO. Não há rodeios sobre assuntos. Desde um garoto entediado com a vida, seu irmão que teve as bolas explodidas por uma bomba no Afeganistão, homosexualismo, famílias que tiveram que mudar o sobrenome por causa da imigração, caras que sentem tesão matando alienígenas em video games, até o fim do mundo causado por uma invasão de insetos gigantes comedores de gente e loucos pra trepar.
Selva de Gafanhotos me tirou completamente da minha zona de conforto. Eu nunca li nada parecido antes e me surpreendi com a ousadia do autor, principalmente ao ler os agradecimentos ao fim do livro onde ele fala que quando escreveu o livro era pra fugir dos romances comerciais e que só queria ser livre para escrever o que quisesse, mesmo que ninguém fosse ler. Admirei o cara por isso, mesmo que ao longo do livro a impressão de que o autor só poderia ter escrito isso num estado de torpor sem fim é inquestionável. O livro é uma brisa, parece coisa de maluco e fiquei me perguntando diversas vezes de onde surgiu tanta ideia absurda pra colocar no papel. Mas, ao fim da leitura, parei pra analisar um pouco mais a fundo, e percebi que a ideia do livro, por mais esquisita que seja, é genial. E, pra mim, o autor mostrou que, fugindo de clichês e enredos nada originais, é possível conquistar leitores desde que eles tenham a mente aberta.

O livro é dividido em quatro partes e mostra gradualmente os acontecimentos que fizeram com que o fim do mundo acontecesse, desde a apresentação da cidade, o momento em que alguns habitantes que sobreviveram - incluindo Austin, Shann e Robby - se refugiam num silo chamado Éden enquanto descobrem como os bichos surgiram, até a invasão dos soldados irrefreáveis, vulgos insetos.

A capa verde florescente tem o título em alto relevo, é simples mas muito bacana pois faz referência ao experimento genético envolvendo esperma e milho, que resultou em algo brilhante, mas mortal: o Milho Irrefreável. A lateral das páginas é amarela (lembrando o milho, talvez) e é um detalhe que só colabora para a parte visual do livro. Os capítulos, em sua grande maioria, são curtos. Cada parte trás uma pata serrilhada de louva-a-deus antes do capítulo inicial e num geral gostei bastante dessa diagramação. A revisão está impecável. Posso dizer, para os entendedores, que o trabalho gráfico está um verdadeiro dínamo.

O que mais curti na história foi o fato de Austin fazer questão de usar a História para mostrar que os erros do passado podem servir de exemplo pra não se fazer merda no futuro, além de estar numa fase em que está se descobrindo no que diz respeito a sua orientação sexual. Só fiquei com pena por ele estar nessa fase confusa em pleno fim do mundo e ter que lidar com suas frustrações ao mesmo tempo em que observa gafanhotos de 1,80m de altura, comedores de gente, tarados e irrefreáveis a solta nas ruas. Sua orientação sexual ainda o deixa cheio de dúvidas e ter uma namorada, mas, gostar e se sentir atraído pelo melhor amigo, que é gay, mostra o que quero dizer. Acho que o autor inovou ao colocar essa situação sendo que o protagonista é um garoto. É comum, e geralmente mais "aceitável", que garotas se sintam atraídas por suas amigas até descobrirem qual é o lance. Mas nunca tinha lido nada quando é um garoto que passa por isso. É um "triângulo" amoroso nada convencional e por ser diferente, me agradou, sim.
Os garotos falam palavrão e também se mostram muitas vezes despreocupados e indiferentes com a gravidade da situação em que se encontram. O que tem demais num gafanhoto gigante devorando algum transeunte no meio da rua? Nada, claro. Coisas do cotidiano...
O negócio é que, talvez por essa descoberta e obsessão que Austin começou a ter por sexo (e por um mènage consentido entre ele, Shann e Robby), o garoto vive cheio de muito tesão. Tudo é motivo pra ele ficar excitado, desde pensar em trepar com a namorada, pensar nos lábios do amigo enquanto ele fuma, ou... ver uma bituca de cigarro jogada na sarjeta! Essa coisa insistente com tesão, sexo, pau duro e afins é, no mínimo, doentia. Mas foi engraçada, confesso.

Minha única ressalva é a respeito da narrativa. É feita em primeira pessoa com Austin nos mostrando seu ponto de vista "histórico" para o apocalipse e esses seus eternos conflitos pessoais e sexuais. E por ele ser um sujeito muito detalhista, muitas vezes o que já foi explicado se repete por tantas vezes que é impossível contar. Me perdi e achei que isso atrapalhou muito. Não sei se isso faz parte do estilo da narrativa, não sei se faz parte da característica perfeccionista e detalhista de Austin querer repetir tudo um milhão de vezes pra fixar a informação nas nossas cabeças, mas achei muito desgastante esse excesso de repetição de informações. Já sabia desde o começo que os insetos são louva-a-deus de 1,80m com patas serrilhadas, famintos e que só querem uma coisa. E sempre se referir a eles usando essa mesma descrição foi um porre, fora outras informações e descrições. Acho que se não fosse por isso o livro seria reduzido pela metade na questão das páginas e o enredo seria muito menos cansativo.
Tudo acontece ao mesmo tempo, e vários fatos que ocorreram no passado da família de Austin, ou de quem ele queira fazer uma observação qualquer, também vêm à tona. Às vezes sentia que o assunto da vez era desviado com alguma lembrança ou informação sobre um personagem que apareceu de repente pra que ele fosse apresentado e devidamente identificado, e, até voltar ao que estava sendo contado antes, já tinha me esquecido do que estava sendo falado primeiro e tinha que voltar pra reler e lembrar.
No final das contas, Selva de Gafanhotos é um puta livro que pode ser definido como único, divertido e grotesco. E talvez por isso tenha tomado uma liberdade um pouco maior pra usar certos tipos de palavras nessa resenha. E adianto que não é o tipo de livro que qualquer um vá gostar justamente pelos temas absurdos, sexuais e violentos que aparecem, e também pelo estilo bizarro da narrativa.
Recomendo? Sim. Mas sabendo que existem capítulos com títulos como "Caiu sangue no seu presunto", "Gente burra nunca deveria ler livros", "Um chuveiro muito calmante", ou "Nunca procure sorvete em um freezer de esperma", leia por sua conta e risco, ciente que se trata de um estilo único que foge totalmente do comum e que com certeza vai sacudir seus miolos...
"O lema do policial Denny Drayton estava tatuado em fonte Old English, formando um semicírculo igual a um sol nascente acima de seu umbigo branco e sem pelos.
Foda-se essa merda. Eu tenho uma arma, filho da puta."
- Pág. 245
"A história mostra que, enquanto houver seres humanos neste planeta, quando você coloca dois deles juntos, antes que você perceba, eles começam a criar regras."
- Pág. 288


28 de abril de 2015

Novidades de Abril - Verus

No mundo da Luna - Carina Rissi
A vida de Luna está uma bagunça! O namorado a traiu com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina do que com ela e seu chefe vive trocando seu nome.
Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas e o quadro de jornalistas diminuiu drasticamente. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai no colo dela. Embora não tenha a menor ideia de como fazer um mapa astral e não acredite em nenhum tipo de magia, Luna aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser criar um texto em que ninguém presta atenção?
Mas a garota nem desconfia dos perigos que a aguardam e, entre muitas confusões, surge uma indesejada, porém irresistível paixão que vai abalar o seu mundo. O romance perfeito — não fosse com o homem errado. Sem saída, Luna terá que lutar com todas as forças contra a magia mais poderosa de todas, que até então ela desconhecia: o amor.
Com seu estilo ágil e fluido, Carina Rissi criou em No mundo da Luna uma leitura viciante, permeada de humor, magia e paixão, que vai conquistar você do início ao fim.

Que tal esta noite? - Pense Rápido #1 - Bridie Clark
Esta noite vai acontecer a melhor festa do ano, a Sonho de uma Noite de Inverno, nos bosques gelados nos arredores da Academia Kings, a escola de elite onde você foi admitida com uma bolsa de estudos. Suas amigas também vão, e vocês precisam estar impecáveis! Mas o que você vai fazer com a sua paixão secreta pelo namorado da sua melhor amiga? E quando o seu melhor amigo se declara para você, que atitude tomar?
Nesta história cheia de festas, amizades e glamour, você é a personagem principal e deve decidir que caminho seguir. Você prefere ser uma baladeira e se divertir com suas amigas sem pensar nas consequências, ou a estudante responsável que tira as melhores notas e garante um futuro brilhante?
Escolhas devem ser feitas rapidamente, e você terá de decidir que riscos correr para conseguir status social, aventuras, sucesso e amor.

A curiosidade - Stephen P. Kiernan
A cientista Kate Philo e sua equipe em um projeto revolucionário de criogenia fazem uma descoberta impressionante no Ártico: o corpo de um homem enterrado no gelo. O ambicioso chefe do projeto ordena que o homem seja levado para o laboratório, em Boston, e reanimado — o que é feito com sucesso. À medida que o homem começa a recuperar a memória, a equipe descobre que ele foi — ou melhor, é — Jeremiah Rice, um juiz, e a última coisa de que ele se lembra é a queda no oceano Ártico em 1906.
Unidos por circunstâncias além de seu controle, Kate e Jeremiah se tornam próximos. Mas o tempo está passando, e Jeremiah percebe que sua vida está mais uma vez em risco. Muito em breve Kate deverá decidir até onde está disposta a ir para proteger o homem que aprendeu a amar.
A curiosidade é um thriller emocionante, comovente e original que levanta questões perturbadoras sobre a natureza da vida e da humanidade.

27 de abril de 2015

Clube da Liga #3 - Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty

Lido em: Abril de 2015
Título: Pequenas Grandes Mentiras
Autora: Liane Moriarty
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance/Drama
Ano: 2015
Páginas: 400
Nota
Sinopse: Com muita bebida e pouca comida, o encontro de pais dos alunos da Escola Pirriwee tem tudo para dar errado. Fantasiados de Audrey Hepburn e Elvis, os adultos começam a discutir já no portão de entrada, e, da varanda onde um pequeno grupo se juntou, alguém cai e morre.
Quem morreu? Foi acidente? Se foi homicídio, quem matou?
Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada.
Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline.
Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade.
Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida.
Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o fatídico dia em que alguém cai da varanda da escola e morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada.
Ao colocar em cena ex-maridos e segundas esposas, mãe e filhas, violência e escândalos familiares, Liane Moriarty escreveu um livro viciante, inteligente e bem-humorado, com observações perspicazes sobre a natureza humana.

Resenha: Pequenas Grandes Mentiras, escrito pela autora Liane Moriarty e publicado no Brasil pela Editora Intrínseca foi o livro do mês de abril do Clube de Leitura da Liga.
O livro conta a história de Madeline, Celeste e Jane, três mulheres que têm suas vidas entrelaçadas, cada uma com personalidade distinta e questões familiares complexas a serem resolvidas. E enquanto as protagonistas intercalam a narrativa contando o que se passa com cada uma delas, desde o princípio o leitor se depara com um mistério que move a trama até o fim: Durante a noite do Concurso de Perguntas, um encontro de pais de alunos da Escola Pública de Pirriwee para angariar fundos para a escola, alguém morreu. E não se sabe quem foi, nem quem matou.
E enquanto o mistério perdura ao longo da história, vamos conhecendo a fundo as particularidades de cada protagonista. Madeline é uma mulher de quarenta anos muito pé no chão e bem humorada. É casada com Nathan, com quem tem dois filhos, Fred e Chloe, mas parece não aceitar e nem estar sabendo lidar com a situação em que se encontra: Sua filha de quatorze anos, do primeiro casamento com Ed, Abigail, quer ir morar com o pai. Ed está casado com Bonnie, e tiveram Skye. Chloe e Skye estudam juntas no jardim de infância e isso é motivo para deixar Madeline muito desconsertada. Aliás, todos os filhos mais novos dos protagonistas tem isso em comum, todos estão no mesmo jardim de infância.
Celeste é casada com Perry e, aos olhos da sociedade, eles têm uma vida invejável. São pais dos gêmeos Max e Josh e a família parece ser simplesmente perfeita.
Jane é mãe solteira e se mudou para a cidade com seu filho, Ziggy, há pouco tempo. Logo Madeline e Celeste ficam amigas de Jane e alguns de seus segredos mais íntimos começam a ser compartilhados entre elas.
Até que Ziggy é acusado de cometer bullying com uma das crianças da escola causando um enorme alvoroço entre os pais, que cobram uma atitude drástica da escola, mas as coisas não parecem ser o que realmente são... E diante de contradições e muita confusão, o leitor adentra a trama e conhece o que cada família vivencia e guardava para si até então...

O livro tendo sido lido em grupo, compartilhamos pensamentos bastante parecidos sobre os comportamentos das personagens e como identificamos ou entendemos seus motivos para tomarem certos tipos de atitudes. Conhecemos nossos filhos a ponto de confiar neles plenamente? Sabemos mesmo quando estão mentindo ou quando estão dizendo a verdade? Até onde os pais têm autoridade para lidar com filhos que defendem seus ideais, por mais absurdos que sejam? O relacionamento dos pais com os filhos podem e devem ser baseados em quê?
Madeline foi uma personagem com a qual me identifiquei bastante em alguns pontos. Ela é decidida naquilo que quer e é muito engraçada, mas senti que ainda guarda muito ressentimento pelo fato de seu relacionamento com Nathan não ter dado certo, mas o dele com Bonnie sim. Isso me fez pensar que ela estava sendo bastante egoísta e até amargurada.
Jane é mais misteriosa sobre a paternidade de Ziggy e como ela lida com isso, mas, através dela, o leitor sabe um pouco mais sobre como alguém pode ficar marcada devido a um acontecimento trágico cujas consequências serão levadas para o resto da vida, mas ainda assim ter forças pra seguir em frente.
Não me identifiquei muito com Celeste por ela ser mais passiva, mas por ela é possível entender um pouco mais sobre viver de aparências...
Pequenas Grandes Mentiras é um livro cuja narrativa é lenta até certa parte, no início parece ser confusa por mesclar passado com presente junto com muitos personagens que aparecem sem uma apresentação prévia, mas é viciante quando os problemas reais começam a vir a tona. Me lembrou o livro Morte Súbita, de J.K. Rowling. A escrita da autora é ótima e bastante detalhada, a história é inteligente e ela consegue entrelaçar os dilemas de cada personagens de forma a fazer com que todos tenham uma ligação, por mais que a primeira vista isso não fique óbvio. Tudo é entregue ao leitor no momento certo e admiro demais essa habilidade numa narrativa. Os personagens são muito bem construídos, tem suas qualidades mas também possuem seus defeitos, mostrando que as pessoas nunca são perfeitas.
O mais interessante é que o mesmo evento pode ser visto por perspectivas diferentes, mostrando o lado de cada um. Assim, os capítulos vem em forma de contagem regressiva até a noite do Concurso para que, enfim, o leitor possa saber, após roer todas as unhas, o desfecho dessa história surpreendente.

Durante a leitura tentava bolar algumas teorias sobre a vítima, mas não chegava a lugar nenhum. Muitos personagens me enganaram, mas outros, talvez por instinto feminino e materno, ganharam minha confiança logo de cara. Posso afirmar que tive meus acertos, mas também tive alguns erros...
Pra mim, o mistério acerca da morte só serviu como desculpa para que temas muito polêmicos como bullying, violência doméstica, assédio moral, traição, falta de amor próprio e afins pudessem ser abordados, mas mesmo sendo temas complexos, a autora soube dosar com bastante bom humor vindos de certas situações e personagens para que a história não se torne pesada. Achei que todas as situações foram tratadas com bastante realidade, principalmente na questão de como a sociedade é hipócrita em preferir fazer julgamentos sem antes se preocupar em conhecer a verdade, apenas baseando em achismos.

Pequenas Grandes Mentiras é o tipo de história que me fez levantar muitas perguntas. Me fez pensar, bolar teorias e questionar a verdadeira índole dos personagens presentes na trama além de refletir sobre todos os problemas que eles enfrentam e que não se prendem apenas na ficção. Uma das melhores leituras do ano e indico para quem gosta de dramas bem construídos e que coloca o leitor para refletir sobre a própria vida.


Participe da promoção e concorra a 3 exemplares do livro do mês!



a Rafflecopter giveaway
Regras:
- Comentar na resenha de um dos blogs participantes;
- Ter endereço de entrega em território nacional;
- A promoção começa dia 27/04 e termina dia 24/05;
- Perfis fakes ou criados exclusivamente para promoções serão desclassificados;
- O sorteado receberá um e-mail e terá 48 horas para respondê-lo. Caso não seja respondido será feito um novo sorteio;
- O livro será enviado em até 30 dias após o recebimento dos dados;
- Não nos responsabilizamos por danos, eventual extravio ou problemas com os Correios, nem por um segundo envio em caso de devolução por erro nos dados informados ou impossibilidade na entrega.

Boa sorte!
O "Clube do Livro da Liga" é formado por amigos que resolveram arriscar uma leitura coletiva e se surpreenderam com a interação que foi proporcionada. Temos muitos gostos e ideias em comum, além de muitas discussões e risadas. Ninguém nunca irá nos entender, ainda bem.
Os blogs: Leituras da Paty | Livros e Chocolate | Mais que Livros | Meus Livros, Meu Mundo | Prazer, me chamo Livro | Segredos entre Amigas | Todas as Coisas do Meu Mundo

24 de abril de 2015

Novidades de Abril - Bertrand

Pequenos Deuses - Discworld #13 - Terry Pratchett
"Só porque você consegue explicar não significa que não seja um milagre."
Religião é um assunto controverso em Discworld. Todo mundo tem sua própria opinião e até seus próprios deuses, que podem ser de todas as formas e tamanhos. Nesse ambiente tão competitivo, as divindades precisam marcar presença. E a melhor maneira de fazer isso certamente não é assumindo a forma de uma tartaruga. Nessas situações, você precisa, e rápido, de um assistente. De preferência alguém que não faça muitas perguntas...






A Vida Misteriosa de Jack - Kelly Barnhill
Às vezes, a invisibilidade tem o seu lado positivo. Quando sua mãe o leva a Hazelwood, Iowa, para passar um tempo na casa dos seus estranhos tios, Jack não espera nada além de um verão entediante. Nem passa pela sua cabeça que os habitantes de Hazelwood o aguardam há muito, muito tempo. Logo que chega à cidade, três coisas inacreditáveis acontecem. Primeiro, ele faz amigos – amigos de verdade, não imaginários. Segundo, ele apanha do maior valentão da área – os valentões da sua rua sempre o ignoraram completamente. Terceiro, o homem mais rico da cidade começa a tramar o seu fim – um fim doloroso, aliás. Dependerá somente de Jack descobrir por que, de uma hora para a outra, todos passaram a dar tanta atenção a ele. Logo a ele, que sempre foi tão invisível.
A Vida Misteriosa de Jack é uma encantadora história sobre magia e amizade. 

Sal - Sal Profundo #1 - Maurice Gee
Quando Tarl é capturado e escravizado para trabalhar no Sal Profundo, seu filho Hari promete resgatá-lo. Corajoso e inteligente, este cruza o caminho da bela Pérola e de sua talentosa criada, Folha de Chá. Hari e Pérola logo percebem que, juntos, devem descobrir os segredos do Sal Profundo. E esta longa jornada por terras ermas se torna muito mais do que uma missão para salvar Tarl — afinal, o mundo está à beira de um terror sem precedentes. 








A Acústica Perfeita - Daria Bignardi
Ainda muito jovens, Arno e Sara se conhecem e rapidamente se apaixonam. Até que, numa tarde de verão, ela o deixa de forma inesperada. Dezesseis anos depois, no entanto, eles se reencontram e decidem se casar: são um casal alegre, se amam, parecem felizes. Arno se dedica por inteiro ao relacionamento e não entende as tristezas e as mentiras que começam a surgir no caminho deles.
Certa manhã, porém, um evento inimaginável o obriga a se questionar sobre a pessoa com quem viveu por treze anos, a mulher que sempre amou. Temeroso, começa a seguir pistas de mágoas da juventude e paixões sufocadas e, com crescente pesar, encontra o fio da meada de histórias insuspeitáveis.
Daria Bignardi dá voz a um extraordinário protagonista masculino, cujas palavras compõem, pouco a pouco, o retrato de uma mulher inquieta e vibrante. Um percurso em busca das verdades encobertas no íntimo de todo relacionamento, rumo ao coração sombrio que cada um de nós esconde até das pessoas amadas.

Capesius, o Farmacêutico de Auschwitz - Dieter Schlesak
Quando vivia em Schässburg, na Transilvânia, Victor Capesius era farmacêutico e representante comercial dos produtos Bayer. Durante a guerra, foi recrutado para ocupar o prestigiado cargo de Oficial da SS como farmacêutico-chefe de Auschwitz do outono de 1943 até a evacuação do campo de concentração. Entre as suas atribuições constavam distribuir o gás utilizado nas câmaras de extermínio e selecionar os que iriam para a morte.
Certo dia, após a chegada de um trem de sua terra natal, Capesius identificou vários homens e mulheres, antigos vizinhos e conhecidos, que desembarcavam no principal campo de concentração do nazismo; pessoas que sequer imaginavam o massacre final que as aguardava. A sangue-frio, enviou muitos deles para as câmaras de gás e se apossou de seus objetos de valor.
Por meio da investigação das relações entre os vários personagens que estiveram em Auschwitz – tanto as vítimas quanto agentes que trabalharam em prol do Holocausto –, Dieter Schlesak nos apresenta uma complexa colagem de narrativas, documentos e imagens do horror nazista. Capesius, o Farmacêutico de Auschwitz é uma obra comovente, inquietante, dada a intensidade de sua pujança linguística, carregada de autenticidade.

Just me! - Roberto Cavalli
Crítico e conciliador, impulsivo e ponderado, tímido e irreverente, fiel e passional, severo e doce: esses são apenas alguns aspectos da eclética personalidade do grande estilista Roberto Cavalli, que nesta autobiografia se revela em toda a sua autenticidade. Cavalli se define como “artista da moda” e nos confidencia nestas páginas os aspectos mais íntimos de sua vida, como a tragédia que lhe marcou a infância, o sentimento de culpa pelos fracassos escolares, a insegurança pelos problemas com a fala e os primeiros sucessos profissionais. Conta também sobre os primeiros e delicadíssimos flertes, as mulheres que amou, as viagens, os amigos que o acompanharam em todos estes anos, sua paixão pelos animais, os filhos, e os muitos altos e baixos da vida, que o levaram a ser hoje um homem realizado. E a Moda que desenhou e que viveu: Milão, Nova York, Paris, Palazzo Pitti; os figurinos para os red carpets; as modelos e a amizade com os grandes astros e estrelas de Hollywood e do mundo da música. 

A Mão Que Me Acariciou Primeiro - Maggie O'Farrell
Neste fascinante romance, Maggie O’Farrell nos apresenta a incrível história de duas mulheres separadas no tempo, mas com o mesmo destino marcado pela arte, pela maternidade e por inúmeros segredos. A mão que me acariciou primeiro é uma assombrosa investigação sobre como conduzimos nossas vidas, quem somos de verdade e como podemos estar profundamente conectados pelos mais prosaicos acontecimentos.

23 de abril de 2015

Novidades de Abril - Record

Bangalô 2: Hotel Beverly Hills - Danielle Steel
O agente literário de Tanya Harris liga com uma notícia bombástica: um famoso produtor de cinema quer que ela escreva o roteiro de seu próximo filme. E mais: a proposta inclui trabalhar hospedada no exuberante Bangalô 2 do Hotel Beverly Hills. De uma hora para outra Tanya precisa escolher se vai continuar com a rotina perfeita de escritora freelancer, dona de casa, esposa dedicada e mãe de família em São Francisco, ou se vai aceitar o convite e passar vários meses em Los Angeles, longe do marido e dos filhos, desestruturando a vida familiar para realizar um antigo sonho. Relutante e dividida, Tanya acaba aceitando o desafio. Mas será que tomou a decisão certa? Ao chegar a Hollywood, Tanya é envolvida por um mundo novo e intoxicante, e mergulha em um trabalho que exige mais dela do que poderia imaginar.
Inevitavelmente, vai se afastando da família, que começa, aos poucos, a se desintegrar, e seu sonho se transforma em seu pior pesadelo. Será que Tanya conseguirá conciliar a vida pessoal e a profissional em meio a tantas demandas opostas? Ou uma reviravolta do destino vai garantir para sua vida uma cena final inesperada e digna de um filme vencedor do Oscar? Uma trama emocionante com um desfecho surpreendente!

Younger - Pamela Redmond Satran
Alice sempre pareceu mais nova do que realmente era, apesar de alguns fios de cabelo branco e do jeito despojado de dona de casa de Nova Jersey. Ou melhor: ex-dona de casa. Agora que o marido a deixou e que a filha já não é mais criança, ela precisa refazer sua vida. Então deixa que sua melhor amiga, Maggie, transforme seu visual na véspera do Ano-Novo.
Graças às maravilhas da tintura de cabelo e de um par de jeans colado ao corpo, Alice se vê com uma aparência mais jovem, fato atestado num bar de Manhattan: à meia-noite, ela beija um cara que ainda usava fraldas quando ela já cursava o ensino médio. A mentirinha que contou a Josh a faz acreditar que, se ninguém perguntar sua idade, ninguém vai descobrir a verdade. Então Alice se candidata a um cargo na editora em que trabalhou brevemente antes de se tornar mãe em tempo integral – e consegue o emprego.
Aos poucos, Josh se apaixona perdidamente por Alice, uma mulher muito mais interessante que as da idade dele. Para ele, Alice tem 29 anos – e pela primeira vez desde os 29 ela tem a sensação de que a vida é um mar de possibilidades. Mas, infelizmente, uma delas é ser desmascarada.

Benefício na Morte - Robin Cook
Pia Grazdani é uma estudante de medicina de inteligência excepcional e temperamento reservado. Em estreita colaboração com o geneticista molecular Dr. Tobias Rothman, da Universidade Columbia, ela trabalha na pesquisa que tenta criar órgãos de reposição para pacientes crônicos, o que poderia revolucionar a saúde pública. Através desse estudo, Pia espera ajudar milhões de pessoas. Porém, quando o laboratório vira palco de uma tragédia, Pia se vê obrigada a interromper suas pesquisas e começa a investigar, com a ajuda de um colega de turma, o que teria causado o desastre no laboratório de biossegurança.
Enquanto isso, dois gênios de Wall Street pensam ter achado mais uma mina de ouro na multitrilionária indústria de seguros de vida, e concentram todos os seus esforços na tentativa de manipular dados atuariais e securitizar apólices de seguro de vida de idosos e doentes crônicos – uma fonte potencial de fortunas incalculáveis.
Quando Pia e George investigam mais a fundo, uma pergunta começa a rondá-los: será que alguém estaria usando informações de seguros de vida particulares para permitir que investidores se beneficiem da morte de terceiros? Em Benefício na morte, Robin Cook está de volta com mais uma história eletrizante envolvendo pesquisas científicas sem precedentes e questões éticas na medicina, ambas sujeitas à ação maligna de pessoas gananciosas e sem escrúpulos.

Guerreiro Sagrado - Crônicas do Fora da Lei #2 - Angus Donald
Em 1190, o rei Ricardo Coração de Leão inicia sua cruzada épica para libertar Jerusalém das mãos dos cruéis sarracenos. À frente do grande exército real está o mais temido guerreiro da Inglaterra: o fora da lei de Nottingham, o conde de Locksley — Robin Hood em pessoa. Junto de seus leais companheiros, Robin tem um papel decisivo na perigosa viagem para o leste. Destemido e ameaçador, ele é capaz de superar e vencer qualquer inimigo. Mas agora, nos campos de batalha da Terra Santa, ele será posto à prova no que promete ser seu maior desafio.
E não é apenas com os adversários declarados que Robin terá de se preocupar. Em seu acampamento há um traidor à espreita, um inimigo sorrateiro determinado a matar o mais famoso fora da lei antes do silenciar das trombetas.

Iscas - J. Kent Messum
Seis estranhos acordam em uma ilha deserta sem qualquer lembrança de como chegaram ali, mas logo se torna evidente o que todos têm em comum: são dependentes de heroína. Sequestrados e colocados à força em um jogo mortal.
Em pouco minutos, começam a discutir, porém os ânimos se acalmam quando eles encontram um baú com água, comida e uma carta informando que ninguém irá socorrê-los e que, do outro lado do canal, há uma segunda ilha, onde eles encontrarão mais suprimentos e uma recompensa para quem completar a tarefa: uma dose da mais pura heroína.
Quando os primeiros sintomas da abstinência aparecem, eles não veem alternativa a não ser se entregar à pressão psicológica imposta pelos misteriosos torturadores. Então se aventuram em um oceano de terror.


O Arqueólogo - Martí Gironell
Montserrat, 1910. O monge Bonaventura Ubach marca uma reunião com o abade de seu mosteiro. Ele precisa expor ao Reverendíssimo seu projeto mais ambicioso. Ubach deseja seguir os passos de Moisés e do povo de Israel e realizar o périplo de Abraão, conferindo in loco as regiões onde transcorrem as histórias das Sagradas Escrituras.
Assim, o monge Ubach empreende uma verdadeira odisseia à Terra Santa e à Mesopotâmia, acompanhado de outros religiosos e beduínos. Desejando obter peças para serem expostas no futuro Museu Bíblico no Mosteiro de Montserrat, em Barcelona, e desejando ilustrar uma edição catalã da Bíblia, o padre Ubach se depara com tempestades no deserto, pragas bíblicas, xeiques cruéis, exércitos e diversos contratempos, mas também se vê diante de maravilhas e encantos da cultura e do povo da região.
O arqueólogo é um apaixonante romance sobre uma história real do monge beneditino Bonaventura Ubach.

Primavera de Cão - Patrick Modiano
Aos dezenove anos, numa manhã da primavera de 1964, o narrador encontra o fotógrafo Francis Jansen. Ele trabalha em Paris para uma revista norte-americana, foi amigo de Robert Capa, encontrava-se com uma mulher chamada Colette Laurent que agora o procura incessantemente, guarda todas as suas fotos em três maletas, e desaparece sem deixar vestígios.
Homem evasivo e misterioso, Jansen faz parte da galeria de tipos que, como só Patrick Modiano é capaz de descrever, prefere o silêncio e as reticências às palavras. O narrador retorna a bairros afastados, tenta reencontrar pessoas perdidas, e busca romper a camada de silêncio e de amnésia ao seu redor. As silhuetas lhe escapam; depois de trinta anos, os rostos já não estão nítidos. Ele deseja recuperar o passado, para que se torne algo além de fragmentos distantes e ausentes. Tudo lhe causa uma sensação de irrealidade. E é na busca do passado, de Francis Jansen e de tantos outros, que sua identidade é rememorada.

Cães do Rei - Martin Jensen
Na tentativa de garantir a paz na Inglaterra, o rei Cnut convoca saxões, dinamarqueses, vikings e jutos para um encontro em Oxford. Porém, a dias da reunião entre nobres e bispos saxões e conselheiros dinamarqueses, a morte de um nobre saxão abala a já frágil estabilidade da região, dificultando os planos de Cnut. A fim de garantir o sucesso de seus propósitos, o rei escolhe uma dupla improvável para solucionar o crime: Halfdan, outrora um nobre e agora empobrecido, e Winston, um pintor e ex-noviço. Seguindo as pistas do assassinato, os dois se deparam com uma grande conspiração. Surge assim uma nova dúvida: eles conseguirão resolver o mistério e permanecer vivos?



Sagrados Corações - Sarah Dunant
O ano é 1570. Na cidade italiana de Ferrara, o Convento de Santa Catarina recebe Serafina, uma jovem de 16 anos enviada pela família para uma vida de reclusão.
Separada do homem que ama, Serafina reage ao exílio no convento com revolta, e sua primeira noite como noviça é marcada por uma demonstração de fúria tão violenta que a freira responsável pelo dispensário se vê obrigada a sedá-la.
Conforme a jovem segue protestando contra seu encarceramento, a paz das religiosas é ameaçada e rebeliões começam a ser deflagradas.
Paralelamente, fora dos muros do convento, os preceitos da Contrarreforma passam a impor um regime opressivo que coloca em risco o pouco da liberdade conquistada pelas freiras; mas o espírito de resistência de Serafina se fortalece, e o fogo que ele produz ameaça consumir tudo e todos que a cercam.

Uma Praça em Antuérpia - Luize Valente
Após sua estreia literária com O segredo do oratório, sucesso de público e crítica, Luize Valente volta a mergulhar, de maneira ainda mais surpreendente, na história de uma família de migrantes em Uma praça em Antuérpia. Com domínio da narrativa, que vai e volta do ano-novo de 2000 em Copacabana para os anos da eclosão da Segunda Guerra na Europa, Luize reconstitui a desgraça imposta pelo nazismo aos judeus, razão pela qual muitos deles viriam fazer a vida no Brasil.
Reunindo sensibilidade pelo drama humano e extensa pesquisa histórica, Luize retrata a chaga do nazismo na miudeza do cotidiano, na intimidade das famílias alemães e europeias, com bárbaros desdobramentos em Portugal, no lar de Clarice e Olivia, de onde a narrativa parte para ganhar o mundo e o Brasil. Acompanhamos a fuga de Clarice e seu marido, o pianista judeu Theodor, por grande parte da Europa, sempre um passo à frente da perseguição nazista, fuga que leva parte da família a cruzar o oceano. Como se não bastasse essa narrativa de tirar o fôlego, Luize presenteia o leitor com um final emocionante e totalmente inesperado.


22 de abril de 2015

O Teste - Joelle Charbonneau

Lido em: Dezembro de 2014
Título: O Teste - O Teste #1
Autora: Joelle Charbonneau
Editora: Única
Gênero: Distopia/YA
Ano: 2014
Páginas: 318
Nota
Sinopse: No dia de formatura de Malencia ‘Cia’ Vale e dos jovens da Colônia Cinco Lagos, tudo o que ela consegue imaginar – e esperar – é ser escolhida para O Teste, um programa elaborado pela Comunidade das Nações Unificadas, que seleciona os melhores e mais brilhantes recém-formados para que se tornem líderes na demorada reconstrução do mundo pós-guerra. Ela sabe que é um caminho árduo, mas existe pouca informação a respeito dessa seleção. Então, ela é finalmente escolhida e seu pai, que também havia participado da seleção, se mostra preocupado. Desconfiada de seu futuro, ela corajosamente segue para longe dos amigos e da família, talvez para sempre. O perigo e o terror a aguardam.
Será que uma jovem é capaz de enfrentar um governo que a escolheu para se defender?

Resenha: O Teste é o primeiro volume da trilogia de mesmo nome escrita pela autora Joelle Charbonneau e lançado no Brasil pela Única.
A história se passa num cenário pós guerra onde o mundo foi quase totalmente dizimado. Após sete estágios de guerra, só restou 1/4 da população mundial, a terra se tornou infértil, os rios foram contaminados, a comida é escassa, a natureza foi devastada e a radiação de bombas atômicas ainda causou mutação em alguns seres vivos. A Comunidade das Nações Unificadas é o novo governo, composta por Tosu City, a capital, e várias colônias fundadas em diversos locais com o propósito de repararem os danos causados pela guerra. Cada uma se especializou em algum tipo de trabalho além de fornecer aquilo que outras não são capazes de produzir em prol da sobrevivência. Mas, para que o planeta possa ser reconstruído, é necessário haver especialistas em algum trabalho necessário, além de líderes que possam guiar o povo com razão e sabedoria. Dessa forma, ao se formarem na escola, cada adolescente passa a ser considerado adulto e logo deve trabalhar para colaborar com a colônia. Mas, dependendo dos resultados que foram obtidos na escola, durante a formatura, eles podem ser convocados para o Teste, que é um tipo de "vestibular" para selecionar, através de vários exames, quem está apto intelectual, psicológica e fisicamente para ingressar a universidade para, assim que formado, ter conhecimento o bastante para ajudar a sociedade e liderar a colônia para a qual foi enviado afim de reconstruir o mundo.
E diante deste cenário, conhecemos Malencia Vale, ou Cia, uma jovem de dezesseis anos que passou a vida se dedicando aos estudos por querer ser convocada para O Teste. Ela faz parte da Colônia Cinco Lagos, uma colônia agrícola onde há 10 anos ninguém é selecionado, e agora está mais do que ansiosa por este momento já que está prestes a se formar.
Ao ser selecionada, seu pai, que já havia sido chamado para o Teste no passado, a alerta para que tenha cuidado e não confie em ninguém, e assim Cia segue para Tosu City para realizar o tão famoso Teste. Mas, ao chegar lá, ela descobre que não se trata apenas de provas escritas... Os convocados precisarão, longe de suas famílias e amigos, testar seus conhecimentos e seus limites numa competição perigosa e violenta a fim de salvarem a própria vida para provarem que estão aptos à posição de liderança que tanto almejam...

Narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Cia, O Teste é uma aventura com todos os elementos necessários para torná-la uma incrível distopia que envolve o leitor e o faz perder o fôlego! Não vou negar que a história, pelo menos pra mim, começou um tanto confusa até chegar ao momento do Teste, que foi quando, de fato, começou a fluir bastante e me deixar empolgada e mais atenta aos detalhes acerca do cenário.
Cia é uma personagem complexa, mas não no sentido negativo da coisa... Ela tem o pé no chão, se preocupa com o bem estar dos outros, é observadora, pensa antes de fazer qualquer coisa, é positiva com relação a reconstrução do mundo e realmente acredita que no futuro tudo ficará bem. Ela se guia pela razão e pela lógica, mas também ouve seu coração quando preciso e me simpatizei - e me identifiquei - com ela por ser próxima a realidade, mesmo que se encontre num mundo em condições tão difíceis e desfavoráveis aos habitantes em todos os sentidos possíveis. Um ponto super bacana é sobre seu relacionamento com a família. Mesmo que passem algumas dificuldades, ela e os quatro irmãos aprenderam com os pais valores muito importantes que a definem como pessoa, valores sobre bom caráter, amor e conhecimento, que ao meu ver, são os fatores que importam num relacionamento em família.
Tomas, um amigo de infância, é o responsável por mexer com o coração de Cia. Ele é atencioso, preocupado, cuidadoso e confiável, mas ambos sabem que na situação em que se encontram, já que ambos estão no Teste, a prioridade é a sobrevivência, então isso é só um detalhe que acredito ser melhor abordado e construído nos demais livros da trilogia. Mas a ideia dos dois se ajudarem de forma mútua e na base da confiança num ambiente totalmente hostil me agradou bastante. Super curti a ideia do romance não ser o que move os personagens a lutarem pelo que querem e pelo que precisam, e talvez esse seja um grande diferencial em O Teste. A melhor forma de amor trabalhada aqui é o familiar, pois Cia cresceu num ambiente amoroso e respeitável.
O enredo não é original e lembra outras distopias, mas a autora conseguiu criar um ritmo bastante satisfatório para a história além de descrever o cenário onde ela se passa com bastante credulidade. Quando Cia realiza provas escritas e responde questões acerca da História do mundo, dentre outros trechos em que são revelados ao leitor o que aconteceu pro mundo ter chegado onde chegou, e o que levou às guerras e ao estado atual, me peguei imaginando que tal situação poderia mesmo acontecer e me fez questionar se este poderia ser um dos futuros caóticos para a humanidade e para o planeta.  Tudo é muito realista e as explicações são completamente aceitáveis, desde a briga pelo poder entre líderes de nações até contaminações no meio ambiente e mutações em seres vivos oriundas de colapsos em reatores nucleares causados por lançamentos de bombas.
O teste em si pode ser bastante absurdo... Adolescentes são escolhidos a dedo, poucas restam depois de passarem por tantos obstáculos terríveis e cruéis, e somente as mentes mais brilhantes conseguem passar, mesmo que tenham que contar com a sorte.

Sobre a parte impressa, a capa tem tudo a ver com a história e os detalhes de números em verniz ao fundo dando a ideia de lógica foi muito bem pensado. São 22 capítulos numerados, nem muito curtos nem muito longos, em páginas amareladas. A revisão, em alguns pontos, tem alguns erros de gramática e digitação que me incomodaram um pouco, mas ainda assim O Teste, como um todo, com certeza foi uma das melhores distopias que já tive o prazer de acompanhar. Terminei a leitura extasiada e em choque, ansiosa e clamando pela continuação, Estudo Independente.



20 de abril de 2015

Wishlist #4 - Novidades Literárias de Abril

Floresta Encantada - Johanna Basford
Neste livro, Johanna Basford convida o leitor a embarcar numa viagem ao coração de uma floresta encantada. Enquanto colore os desenhos de flores, casas na árvore, animais e objetos mágicos, seu desafio é encontrar os nove símbolos especiais ocultos ao longo destas páginas. Eles destravam o portão do castelo, revelando seus mistérios. O que será que ele guarda?
Traga à tona o artista que existe em você e divirta-se em uma jornada através desse universo deslumbrante.




Isto Não É Um Livro - Keri Smith
O que é um livro? Para Keri Smith, criadora de Destrua este diário e Termine este livro, essa pergunta pode ter várias respostas: um livro pode ser uma mensagem secreta, um equipamento de gravação, um instrumento musical... tudo depende da maneira como lidamos com ele. Neste novo projeto, Keri surpreende os leitores com inúmeras situações inusitadas que os farão questionar o que de fato é um livro. Plantar ideias, transformar páginas, viajar no tempo, desafiar-se — os convites a interagir e interferir no conteúdo são os mais diversos e improváveis, numa aventura de criação que atiça a curiosidade e bagunça os paradigmas do que são e para que servem os livros que lemos.



Léxico - Max Barry
Uma organização treina jovens talentosos para controlar a mente e o comportamento das pessoas usando combinações específicas de palavras. Os iniciados deixam suas verdadeiras identidades para trás e passam a usar nomes de poetas.
Identificada como um prodígio na arte da persuasão, Emily Ruff, que ganha a vida com truques de cartas nas ruas de São Francisco, é enviada para o treinamento em uma escola da organização e começa a aprender a técnica letal. Quando os líderes da instituição descobrem que ela está se envolvendo com outro aluno, Emily recebe uma missão aterrorizante.
Wil Parke, carpinteiro, sofre de amnésia. Um dia ele já soube o significado da palavrárida, um artefato com o poder de colocar o planeta em risco. No entanto, não lembra mais. Wil é sequestrado por dois agentes brutais, que acabaram de matar sua namorada, desesperados para impedir que um membro da organização, de codinome Virginia Woolf, cause uma grande destruição.
Em seu novo livro, Max Barry constrói uma trama sombria na qual as palavras são como armas e os tipos mais vis usam como pseudônimos grandes nomes da literatura.

Uma História de Amor e TOC - Corey Ann Haydu
Bea foi diagnosticada com transtorno obsessivo-compulsivo. De uns tempos pra cá, desenvolveu algumas manias que podem se tornar bem graves quando se trata de... garotos! Ela jura que está melhorando, que está tudo sob controle. Até começar a se apaixonar por Beck, um menino que também tem TOC. Enquanto ele lava as mãos oito vezes depois de beijá-la, ela persegue outro cara nos intervalos dos encontros. Mas eles sabem que são a única esperança um do outro. Afinal, se existem tantos casais complicados por aí, por que as coisas não dariam certo para um casal obsessivo-compulsivo? No fundo, esta é só mais uma história de amor... e TOC.




O Substituto - Ordem da Escuridão #1 - Philippa Gregory
Dotado de beleza e inteligência fora do comum, Luca Vero foi visto com desconfiança durante toda a vida... até que o jovem é acusado de heresia. Para escapar da fogueira, aceita se tornar membro de uma Ordem misteriosa cujo objetivo é investigar estranhos relatos que assombram o mundo cristão. Para vencer seus inimigos, Luca se une a uma aliada improvável – Isolde, de 17 anos, fora aprisionada como abadessa de um convento cujas freiras sofrem constantes ataques de histeria. Além disso, os dois precisam combater a crescente atração que sentem um pelo outro. Ou podem acabar num inferno jamais imaginado.





Um Conto Sombrio dos Grimm - Um Conto Sombrio dos Grimm #1 - Adam Gidwitz
João e Maria perambulam por oito fábulas e acabam provocando muitas risadas... e um pouquinho de choro também!
João e Maria fugindo da própria história? Mas o que pode ter acontecido? Seus pais eram reis!! Os meninos tinham tudo que desejassem... não? Humm. Talvez a história não seja bem assim. Mas, então, qual a verdade? Descubra, acompanhando João e Maria em oito fábulas horripilantes. Em meio a muita aventura, os irmãos se deparam com bruxas, magos, caçadores com uma mira infernal, padeiros com fornos perfeitos para assar crianças... Tudo isso pode ser muito assustador, mas, diferente de outros contos de fada, é TUDO verdade! Ou, pelo menos, o mais próximo do que os próprios Grimm imaginaram.


Inocência? - O Protetorado da Sombrinha #3 - Gail Carriger
Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Ao abandonar a residência do marido e se mudar de volta para o lar de sua terrível família, Lady Maccon se tornou o escândalo da temporada em Londres. Além disso, a Rainha Vitória dispensa Alexia do Conselho Paralelo, e a única pessoa capaz de ajudar a esclarecer os fatos, Lorde Akeldama, inesperadamente deixa a cidade. Como se não bastasse, Alexia é atacada por joaninhas mecânicas assassinas, indicando – como apenas joaninhas são capazes de fazê-lo – o fato de que todos os vampiros londrinos estão muito interessados em vê-la rigorosamente morta. Enquanto Lorde Maccon concentra seus esforços em ficar cada vez mais ébrio e o Professor Lyall se desdobra para que a Alcateia de Woolsey se mantenha coesa, Alexia deixa a Inglaterra em direção à Itália em busca dos misteriosos Templários. Somente eles têm o conhecimento sobre os seres preternaturais que Alexia precisa para entender sua crescente e inconveniente condição, mas eles podem ser piores que os vampiros – e estão armados com molho pesto. A série de Steampunk mais cultuada do mundo! Best-seller do New York Times e finalista do Goodreads Choice Award na categoria Paranormal Fantasy.