31 de maio de 2014

Caixa de Correio #27 - Maio

Dia de Caixinha de Correioooo, gente!!
Espiem o que recebi esse mês e pasmem não comprei nadica de nada! Ihuu!

27 de maio de 2014

O Feitiço Azul - Richelle Mead

Lido em: Maio de 2014
Título: O Feitiço Azul - Bloodlines #3
Autora: Richelle Mead
Editora: Seguinte
Gênero: Fantasia/Sobrenatural
Ano: 2014
Páginas: 400
Nota: 
Sinopse: A atual missão da alquimista Sydney Sage fez com que ela revisse seus conceitos não só sobre os vampiros, mas também sobre a própria organização à qual pertence, responsável por esconder a existência dessas criaturas do resto da humanidade. Sydney acabou descobrindo um grupo dissidente que tinha muito em comum com os alquimistas, mas objetivos bem mais radicais. Certa de que seus superiores estão guardando segredos sobre essa facção paralela, ela contará com a ajuda do misterioso ex-alquimista Marcus Finch para tentar desvendá-los. Mas isso só será possível se ela conseguir escapar de uma ameaça ainda mais urgente; uma feiticeira cruel que suga a alma de jovens usuárias de magia. Enquanto isso, a garota luta contra os sentimentos cada vez mais fortes pelo rebelde vampiro Adrian Ivashkov. Há tabus e preconceitos milenares arraigados entre as duas raças, que representam um obstáculo enorme para esse relacionamento. Mas Adrian é persistente e é o único em quem ela confia para enfrentar as ameaças que se aproximam. Será que Sydney conseguirá se libertar do seu modo de vida e se render a esse romance?

Resenha: Sydney Sage e Adrian Ivashkov, ainda mais irresistível, estão de volta nessa empolagante continuação da série Bloodlines. Dessa vez a alquimista entrará em uma grande missão: tentar impedir que uma feiticeira maligna roube a juventude de jovens inocentes.  Ao mesmo tempo em que ajuda a Sra. Terwilliger a caçar essa bruxa, Sydney tem que lidar com a questão dos Guerreiros da Luz, que envolve Marcus, um ex-alquimista que se voltou contra seu povo. A jovem se vê em uma via de mão dupla, onde deve escolher virar a cara para uma cultura enraizada na sua vida com diversos aprendizados ou seguir a diante aceitando tudo que a sociedade alquimista impõe. Em meio a tantas dúvidas, Sydney encontra em si muitos questionamentos e uma única certeza: descobrir o que os alquimistas têm a esconder.
Preparem os corações! Minha história com a Richelle é diferente de algumas que conheço. Meu primeiro contato com a autora foi em Laços de Sangue, que dá início a série Bloodlines, spin off de Academia de Vampiros. Após ler O Lírio Dourado e conhecer um pouco sobre o mundo dos Moroi, Strigoi, Dampiros e Alquimistas é que embarquei na série protagonizada por Rose. O efeito foi bem reverso, pois quando chegou Promessa de Sangue é que reencontrei a Sydney. Mas reencontros à parte, posso garantir que estou cada vez mais viciado em Richelle Mead.
Um dos grandes preconceitos que vejo com a série é quem a protagoniza. É evidente que a Sydney é o oposto da Rose em tudo. Enquanto Hathaway era um tanto “valentona”, Sage é mais contida e pensa antes de agir. Então, não dá pra esperar encontrar em Bloodlines o mesmo clima, já que a narrativa acontece em primeira pessoa.
Sydney está agora muito mais segura de si. Nos dois volumes a personagem trazia consigo muitas dúvidas sobre o que deveria ou não fazer. Agora ela está mais ciente de verdades parciais sobre sua própria vida e cultura. Entendo perfeitamente isso. Imaginem uma mãe que ensina algo a um filho desde seu nascimento e ele carrega tal lição consigo a vida toda. Sua opinião pode mudar? Sim, mas é uma ideia difícil. É isso que acontece com a Sydney nesse volume. Ela começa a se questionar alguns pontos sobre sua criação e junto com Adrian tenta encontrar tais respostas. Essa personalidade dela cria forma e traz de dentro uma força para a personagem que é admirável. Uma verdadeira evolução que continuará até o último livro, espero.
Ah, Adrian! Ele continua do jeitinho que os leitores da Richelle conhecem: convencido, carinhoso, amoroso e clichê. Mas quem não ama um clichê de vez em quando? Costumo comparar muito Adrian e Sydney com Rose e Dimitri. E pasmem, mas prefiro o primeiro casal. A interação dos dois é ótima, feita em diálogos recheados de falas engraçadas. Creio também que o amor deles é menos fogo e paixão (apesar de isso existir mais nesse volume) e mais carinho e companheirismo. Adoro ver o Adrian se arriscando e fazendo de tudo pela Sydney. <3
É sempre bom relembrar o talento da Richelle para escrever. Li recentemente O Tabuleiro dos Deuses e vi um outro lado dela, uma escrita mais adulta e madura. Em Bloodlines a linha se mantém numa narrativa fácil que flui sem que se perceba, e quando menos nos damos conta já chegou ao final e nos roemos de ansiedade para o próximo. Esse talento de Mead é inegável, já que ela escreve livros para séries diferentes ao mesmo tempo.
O Feitiço Azul é perfeito. Soa até exagerado, mas não consigo encontrar defeitos nessa série.  A resistência da Sydney em aceitar que sua vida é uma mentira parece incomodar alguns leitores, mas a mim agrada muito, pois mostra que a verdade é questão de ponto de vista, ainda mais quando enraizada em uma cultura de vida. Há uma bela dose de ação, muitos feitiços e mistérios adicionados ao romance adorável de Adrian e Sydney. Estou, definitivamente, apaixonado por esses dois.


26 de maio de 2014

Espinho de Ferro - Caitlin Kittredge

Lido em: Maio de 2014
Título: Espinho de Ferro - Código de Ferro - Livro 01
Autora: Caitlin Kittredge
Editora: Rocco  
Tradutor: Chico Lopes
Gênero: Steampunk/Fantasia/YA
Ano: 2012
Páginas: 515
Nota:
Sinopse: Na cidade de Lovecraft, os fiscais governam e um grande engenho gira sobre suas ruas, esmagando qualquer resistência a sua ordem para tudo moer. O necrovírus é responsabilizado pela epidemia de loucura em Lovecraft, pelas estranhas lúgubres criaturas que vagam pelas ruas dentro da noite e por tudo o que os fiscais julgam herético ou nascido na crença, na magia e na feitiçaria. E, para Aoife Grayson, o tempo está se esgotando dia após dia.
A família de Aoife é única, no pior sentido. A mãe e o irmão mais velho, Conrad, ficaram loucos ao completar dezesseis anos. E agora, tutelada pelo Estado na proximidade dos próprios dezesseis anos, Aoife está tentando fingir que seu destino pode ser diferente.
Seu futuro parece triste. Até que um dia ela recebe uma carta que diz apenas:
Encontre o alfabeto da bruxa.
Salve sua vida.
Aoife sabe que a carta é de Conrad, mas a última vez que viu seu irmão foi no dia em que ele perdeu a razão e atacou-a antes de fugir dos fiscais. Será que ele está curado em algum lugar e avisando-a para fugir enquanto lhe for possível - ou é apenas a mensagem de um louco perambulando a esmo?
Para salvar a própria vida, Aoife precisa encontrar o irmão. E, para fazer isso, ela deve deixar Lovecraft e se aventurar num mundo de heréticos e piratas do ar, criaturas da noite e sombrios segredos de família... Antes que o ponteiro do relógio gire para baixo e ela também sucumba aos necrovírus.

Resenha: Espinho de Ferro é o primeiro volume da trilogia Código de Ferro, escrita pela autora Caitlin Kittredge e publicado no Brasil pela Editora Rocco.
A história parece se passar nos anos 50, na cidade movida a vapor e éter de Lovecraft. O necrovírus é algo que ameaça as pessoas, pois é responsável pela existência de monstros sobrenaturais e outros seres terríveis, como vampiros que habitam os esgotos, noitibós, fantasmas, corvos mecânicos e outros piores que existem alí. E, nesse cenário bastante dark e pós guerra, conhecemos Aoife Grayson (esse é um nome irlandês cuja pronúncia é "Ee-fah" ou "Ifa") , uma jovem de 15 anos numa visita que faz à mãe. O problema é que o histórico da família dela não é um dos melhores... Sua mãe se encontra internada num manicômio, seu irmão num surto de loucura fugiu após atacá-la, seu pai é um completo desconhecido... Esses fatores foram suficientes para que o Estado se tornasse tutor de Aoife e a colocasse em uma escola de engenharia mecânica. Assim, caso não ficasse louca, quem sabe poderia ter uma carreira na área que tanto se interessa... E enquanto leva a vida receosa pelo necrovirus, mas cercada por máquinas e engrenagens, aprendendo e se dedicando a consertar engenhocas e pondo a mão na graxa, algo imprevisível acontece... Aoife recebe uma carta e tudo indica que é de seu irmão... Sem saber se a carta foi escrita num momento de insanidade de Conrad ou se é alguma pista que ele deixou para que ela siga, Aoife decide sair de Lovecraft em direção a Arkham para descobrir o que puder sobre sua família. Seu melhor amigo, Cal, a acompanha a fim de protegê-la e ajudá-la no que for preciso. Dean entra em cena para guiá-los até Arkham, e a mansão de Graystone, a casa do pai da garota, está cheia de segredos dos quais ela irá se surpreender. Lá ela conhece Bethina, a empregada que se encontra apavorada depois de acontecimentos assustadores alí que envolveram Conrad. Os perigos e as criaturas apavorantes que existem nos arredores ameaçam a vida de Aoife e de seus amigos, e ela deve encontrar respostas antes de completar 16 anos. E as descobertas que ela faz em Graystone, é algo que Aoife jamais esperava...

Durante a leitura, os detalhes ricamente construídos do cenário e dos elementos dão a impressão de que é tudo muito sujo e velho, como se tudo fosse contaminado e as pessoas vivessem em condições precárias sempre sendo vigiados por algo a espreita. Esse ar sombrio é simplesmente fantástico. O mundo dividido entre racionalistas e heréticos também foi muito bem trabalhado, principalmente porque heréticos são considerados um problemas por acreditarem em magia, como se isso fosse sinal de loucura ou coisa do tipo.
Aoife é a típica adolescente que não se agrada da situação em que se encontra, e mesmo se sentindo frustrada e se lamentar pela sua condição, se mantém estagnada naquela vida, esperando a loucura chegar. Até que a tal carta aparece e ela resolve arregaçar as mangas e ir embora, de repente. Ela é corajosa, não se deixa influenciar por nada nem ninguém e o que me fez admirá-la muito é ela ter uma imensa paixão por livros! Então no meio de tantos mistérios e intrigas, ela descobre que tem o "Dom".
Cal é o melhor amigo dela, único que parece não se importar que a loucura pode afetá-la mas sempre a contradiz quando ela diz que descobre algo novo. Ele é protetor mas muito irritante e tem um papel especial e bastante surpreendente na trama, o que explica seu comportamento. E a partir da descoberta do segredo que ele guarda, ele se torna um personagem muito mais interessante...
Dean faz o estilo bad boy, misterioso, cheio de charme carregando aquele isqueiro por aí, e um tipo de interesse amoroso começa a surgir entre ele e Aoife. Com certeza foi o personagem que mais gostei na história. O romance surge como faíscas, mas apesar de estar visível, não é o foco principal da história.
Os demais personagens também foram muito bem construídos, desde Bethina até o prefeito Draven, que não mede esforços para conseguir o que quer, influenciando as pessoas a denunciarem quem quer que seja que possa estar fazendo algo considerado errado ou ilegal, mandando matar quem considera uma ameaça pelo motivo mais fútil que seja, e ainda perseguindo Aoife e sua família de forma obsessiva e sem uma explicação maior para isso.

Espinho de Ferro é um livro bem sombrio e bem complexo no que diz respeito aos elementos inseridos e a mitologia que a autora criou. Apesar de a leitura ser bastante fluida e empolgante, não é um livro para se ler de uma vez, correndo, pois são muitos, muitos detalhes que devem ser absorvidos aos poucos para serem melhor compreendidos. E justamente pela mistura de tantos elementos, senti que a história tomou um rumo beeeeem diferente de onde partiu, como se todo aquele steampunk tão aprofundado no começo fosse deixado de lado para dar lugar a fantasia envolvendo magia e bruxaria e tudo o que antes parecia seguir por um caminho, foi para outro totalmente nada a ver, o que me deixou confusa quanto a intenção da autora, pois pra mim, foi como se ela tivesse unido duas histórias diferentes. A história ainda tem um toque de distopia com a ideia de um governo que condena e castiga todos aqueles que acreditam e/ou praticam magia.

A edição da editora está ótima. A capa remete bem à história, mostrando corvos, dando destaque a cor marrom lembrando a sujeira do cenário e as características físicas da protagonista. A diagramação é simples, os capítulos tem em média 20 páginas e as folhas são amareladas.

O final deixa um gancho pro próximo livro, Jardim do Pesadelo, e surpreende muito deixando o leitor ansioso para continuar acompanhando os próximos acontecimentos. Lovecraft está para cair, nem tudo é o que parece, e para Aoife, o que resta é saber se seu Dom irá ajudá-la em sua nova tarefa num mundo novo e mais perigoso e fantástico do que nunca...

25 de maio de 2014

Novidades de Maio/Junho - Geração Editorial

Solidão - José Maria Mayrink
Em 1982, o jornalista José Maria Mayrink, do jornal O Estado de S. Paulo, escreveu uma surpreendente série de reportagens sobre a solidão em São Paulo, a maior metrópole brasileira. Mendigos, trabalhadores noturnos, presidiários, padres, freiras reclusas, cidadãos comuns foram surpreendidos em sua frágil intimidade.
Eles eram solitários e tristes no meio da multidão. Escrita em estilo literário, como já não se vê na imprensa diária, os relatos comoveram os leitores e tiveram um impacto impressionante. Mais de trinta anos depois, a solidão nas grandes metrópoles não diminuiu. Os solitários continuam sozinhos, agora espalhando suas angústias nas redes sociais. O que era e é ser solitário numa cidade marcada por multidões e ruídos? Quem eram aquelas pessoas que falavam de uma sensação paralisante de abandono? A solidão urbana é mais ampla e assustadora do que se imagina. A solidão de que falam é a mesma que se sente hoje, um dos estigmas da atualidade. A identificação é inevitável.
Este livro é um convite à reflexão sobre o que é a solidão particular de cada um.

Ninguém me contou, eu vi - Sebastião Nery
Os textos deste livro, ao englobar seis décadas de História, formam um impressionante arquivo de biografias, fatos e revelações envolvendo os grandes nomes da política brasileira, desde a Era Vargas até a presidente Dilma Rousseff. Sebastião Nery, um dos maiores e mais polêmicos jornalistas brasileiros, reúne aqui seus melhores textos, revelações e reminiscências. E nos oferece um livro histórico, imprescindível para se entender o Brasil dos últimos 60 anos.








O Para Sempre de Ella e Micha - Jessica Sorensen
Jessica Sorensen está de volta com o segundo volume da série, três vezes mais hot! Ella e Micha começaram a namorar. Ella está na faculdade em Las Vegas. Micha saiu em turnê com sua banda de rock. Tudo parece se encaminhar para uma relação estável. Mas não é o que acontece. Pesadelos começam a assombrar Ella. O medo de ser abandonado persegue Micha aonde quer que ele vá. Tudo o que enfrentaram antes não pode ter sido em vão... eles não podem perder um ao outro. Ou podem? Os dois irão sentir essa verdade na pele quando a distância começa a se revelar mais destruidora do que eles poderiam imaginar. Ciúmes, segredos e fantasmas do passado ressurgem ainda mais ferozes, enquanto as vivências sexuais se incendeiam, apimentadas por jogos sensuais, bebedeiras e muita velocidade nas estradas do oeste americano. 


A Guerra dos FAE – Chamado às armas – Vol.02 - Elle Casey
Jayne Sparks e seus amigos Spike, Chase, Finn e Becky estão na iminência de uma guerra sangrenta e devem sofrer uma mudança, como crianças trocadas, para serem membros dos Fae da Luz com identidades mágicas. Poderão se transformar em elfos, ninfas, daemons, íncubos, anões e duendes verdes, querendo ou não aceitar suas novas identidades, desapontando-se com elas ou não. Tony, porém, alegando não ter agressividade suficiente para enfrentar a guerra com os Fae das Trevas, se afastou, deixando Jayne Sparks cheia de saudades e entristecida. Mas ela logo recuperará seu ânimo, pois conhecerá novos personagens cativantes e estará engajada num  treinamento em que sua natural liderança, por ser determinada e despachada, se fará sentir. Mas a situação colocará muitas dúvidas, e os novos personagens poderão revelar facetas inesperadas. Como será resolvida a questão entre os Fae da Luz e os Fae das Trevas? Serão Jayne e seu grupo de amigos capazes de dar conta de uma missão tão espinhosa? Muitas respostas a estas perguntas, e outras tantas que foram provocadas pelo primeiro volume da série, serão respondidas aos leitores. E surgirão novos e fascinantes enigmas.

A perfeita ordem das coisas - David Gilmour
Do aclamado escritor David Gilmour do sucesso Clube do Filme, em "A Prefeita Ordem das Coisas", um romance especial quem encantou os leitores, com o lema: Há coisas que só podem ser compreendidas quando vividas uma segunda vez. A história tem um escritor como personagem principal que parte numa viagem rumo ao próprio passado. Ele vagueia pelas ruas de Paris, de Toronto, de uma cidadezinha praiana da Jamaica. Lá, estão o internato, uma roda-gigante girando na noite; uma casinha de campo caindo aos pedaços, lugares onde foi feliz e triste, na maioria das vezes desesperado, buscando um sentido para sua vida. Ele reencontra as pessoas, as conversas, os sonhos e as paixões, memórias que tinham se perdido no tempo e agora voltavam para que ele as visse com novos olhos, estes bem abertos para o que não conseguiu enxergar quando as viveu pela primeira vez.

23 de maio de 2014

Novidades de Maio - Benvirá

Subindo pelas paredes - Alice Clayton
A primeira noite de Caroline em seu novo apartamento é uma promessa de que dias – e noites – agitados virão. Ela não poderia imaginar que dividiria a fina parede do seu quarto com um cara capaz de deixar uma mulher completamente maluca na cama. Aliás, uma não, Caroline já contou pelo menos três gritos e gemidos diferentes. Conviver toda madrugada com a animação do apartamento ao lado deixa Caroline ainda mais afundada na crise sexual que a acompanha há tempos. Mas ela nem sequer pode imaginar que o vizinho que ela abomina pode ser o único capaz de lhe trazer de volta seus orgasmos. Em Subindo pelas paredes, Alice Clayton mistura humor, paixão e boas doses de sensualidade, capazes de fazer qualquer uma cair de joelhos e se apaixonar.


Terra de Histórias 2: O retorno da Feiticeira - Chris Colfer
A Terra de Histórias não é mais o lugar que os irmãos Alex e Conner Bailey conheceram há um ano, quando vivenciaram emocionantes aventuras para completar o Feitiço do Desejo. Agora, a malvada Feiticeira, a mesma que condenou Bela Adormecida a anos de sono profundo, está de volta e quer vingança, e o mundo dos contos de fadas vive sob uma atmosfera de medo.
Quando o poder da Feiticeira atinge também o Outromundo e Charlotte, mãe dos gêmeos, desaparece misteriosamente, Alex e Conner desafiam as ordens da avó e encontram um jeito de voltar ao mundo mágico para resgatar a mãe. Para isso, contam com uma ajudinha da relutante Rainha Chapeuzinho Vermelho, dos foras da lei Cachinhos Dourados e João e do homem-sapo Froggy. Juntos, eles precisam construir a Varinha Prodigiosa, última esperança de livrar os dois mundos da pior ameaça que já existiu e, só então, salvar sua mãe. Eles conseguirão vencer a todo-poderosa Feiticeira? Será que a paz voltará a reinar na Terra de Histórias?

Mike Tyson: A verdade nua e crua - Mike Tyson e Larry
Lutador, campeão, criminoso, marido, pai e, mais recentemente, ator, Mike Tyson vem desafiando estereótipos e expectativas há décadas. Criado num dos bairros mais pobres de Nova York, Tyson se tornou um dos lutadores mais ferozes já vistos no ringue – e o mais jovem campeão dos pesos-pesados de todos os tempos. Mas a sua brilhante carreira como boxeador foi muitas vezes comprometida por seu comportamento imprudente. Tantos anos mergulhado em bebidas, drogas, prostituição, violência e gastos extraordinários cobraram o seu preço. Em 2003, Tyson chegou ao fundo do poço: boxeador aposentado, criminoso condenado, viciado em sexo e drogas e completamente falido. Até que decidiu retomar sua vida e recuperou o sucesso, a dignidade e, o mais importante de tudo, o amor de sua família. Tyson trocou o ringue pelos palcos e hoje em dia faz shows de comédia e atua em filmes e séries da TV norte-americana.
Brutalmente honesto, polêmico e muitas vezes hilário, Mike Tyson narra seus altos e baixos de maneira sincera, direta e sem pudores. Exatamente como se espera dele.

House of Cards - Michael Dobbs
O romance House of Cards, que inspirou a série norte-americana de mesmo nome, é uma verdadeira teia de intrigas pessoais e políticas. A vida privada se confunde com a pública na voz de personagens tão assustadores quanto reais. Francis Urquhart é o líder da bancada governista do Parlamento britânico – posição que exerce com maestria e inteligência. Ele possui informações e muitas vezes evidências que podem incriminar seus colegas políticos, principalmente membros do seu próprio partido. Sob a ameaça de torná-las públicas, os manipula e influencia para atingir seu objetivo maior: ocupar o cargo de primeiro-ministro. No entanto, Mattie Storin, uma jovem e idealista jornalista, vai cruzar seu caminho e se mostrará disposta a enfrentá-lo para desvendar e revelar a rede de corrupção que ele constrói.
Mas o que acontecerá depois que ela descobrir que foi usada por Francis para publicar matérias comprometedoras que serviam para seu plano político?

22 de maio de 2014

Maldição - Nancy Holder e Debbie Vingué

Lido em: Maio de 2014
Título: Maldição - Wicked - Livro 02
Autoras: Nancy Holder e Debbie Vingué
Editora: Rocco  
Tradutora: Maria Clara Mattos
Gênero: Fantasia
Ano: 2013
Páginas: 256
Nota:
Sinopse: O Fogo Negro consumiu Jer. Tudo indica que ele esteja morto, e tia Marie-Claire também se foi. Além disso, o maior inimigo de Holly jurou lealdade à Suprema Confraria. Poém, não há tempo para lamentar suas perdas: ela precisará reunir forças e assumir seu papel de líder. Em meio à dor, Holly ressurgirá como uma grande bruxa e fará o que for necessário para sobrepujar o mal... até mesmo sujar as mãos com o sangue do sacrifício.
Se no volume anterior Holly teve que lidar com a descoberta de poderes incríveis e de uma maldição mortífera, agora ela sentirá na pele a responsabilidade pelas vidas dos que a seguem e o peso de ser uma das últimas sobreviventes de uma das confrarias mais fortes de todos os séculos.

Resenha: Maldição é o segundo volume da série Wicked escrita pelas autoras Nancy Holder e Debbie Vingué. Os livros foram lançados pelo selo Jovens Leitores da Editora Rocco.
A história continua de onde parou em Bruxaria, cujo final foi terrível e desesperador, então esta resenha pode ter spoilers do livro anterior!
Jer, o filho do sombrio Michael Deveraux, foi consumido pelo Fogo Negro, umas das piores magias negras de que já se ouviu falar, e a ideia de que ele está morto deixou Holly arrasada devido ao romance que eles tinham um com o outro. Marie Clare, a tia de Holly, também não sobreviveu, e a garota junto com suas primas, Amanda e Nicole, ficaram sozinhas. Resta a Holly seguir em frente fazendo o que puder contra as forças do mal, mesmo que para isso ela tenha que utilizar o sacrifício...
Apesar de focar em acontecimentos passados com muita frequência, Maldição teve um diferencial em relação ao Bruxaria no que diz respeito à narrativa ou às mudanças bruscas de cena, pois felizmente o leitor é informado e situado sobre onde e quando tal acontecimento se passa sem que haja confusão. Tantas informações sobre o passado talvez tenham tido o propósito de explicar ao leitor como tudo aconteceu até chegar onde chegou, mas fiquei com a sensação de que o presente, que é o que realmente importa mesmo que a guerra entre as famílias Cahors x Deveraux seja antiga, ficou em segundo plano, o que não contribui muito para que a leitura se torne fluída, mas, sim, arrastada já que o primeiro livro se encarregou de contar praticamente tudo que deveria importar sobre vidas passadas e o próprio passado em si. Fiquei com a impressão de que a história ficou dando voltas e mais voltas e pra nada.
Quando nos deparamos com a Maldição jogada sobre os Cahors, a família de que Holly descende, o que realmente deixou as coisas agitadas foi como Michael se aproveitou disso para tentar se dar bem.
Fiquei abismada e em choque com o sacrifício feito por Holly e também em como ela passou de uma bruxa se descobrindo pra alguém tão poderosa. Talvez a ideia dos sacrifícios, rituais e mortes sejam mesmo chocar, pois tudo é muito bem detalhado, sanguinolento, cruel, bizarro... Mas alguém que nunca havia feito nada do tipo anteriormente criar coragem e ser tão fria, mesmo que estivesse envolvida emocionalmente, se tornou além de surreal, incômodo. Entendo que Holly, sozinha e sendo líder, precisa tomar decisões grandes que podem mudar tudo, mas algumas delas parecem ter sido descritas sem considerar que poderiam mudar completamente a personalidade da protagonista a ponto de descaracterizá-la, e isso tudo me deixou com a impressão de que, talvez, foi escrito só pra aumentar a intensidade de determinada cena para que o leitor fique abismado ao ler sobre como é feito um sacrifício. Inconstâncias desse tipo não descem aqui, pois o ritual, da maneira como foi feito, não combina com Holly. Fiquei me perguntando até que ponto a influência de Isabeau e sua "ajuda" poderia interferir no que Holly faz.
Uma coisa que vale ressaltar é que todas as brigas entre as famílias rivais que perduram por séculos lembram bastante a rixa de Romeu e Julieta, pois tudo tem como base a retenção de poder, a ganância, o egoísmo, mas lá estão Holly e Jer, indo contra tudo e todos, tentando ficar juntos...

A capa, seguindo o mesmo padrão da primeira é linda, aveludada, com alto relevo e verniz para destacar o título. A diagramação também segue a mesma linha. A revisão está ótima e as páginas são amareladas.

Considerei esse segundo livro como sendo melhor do que o primeiro pelas divisões de cenas e pelos detalhes sinistros que envolvem a magia negra e outras coisas terríveis, mas continuo achando que a história, pela forma como é contada, é bastante confusa e requer uma atenção redobrada e muita paciência para prosseguir com a leitura, que, em alguns pontos, confesso ser entendiante. Algumas cenas realmente são muito boas, mas não superam as demais. Para uma série com cinco livros, imagino o que virá pela frente, e como...


21 de maio de 2014

Novidades de Maio - Cia das Letras

Uma longa queda - Nick Hornby
Eles só queriam saltar de um dos edifícios mais altos de Londres e pôr um fim em tudo. Mas escolheram a noite de Ano-Novo para isso, e acabaram encontrando gente demais disposta a fazer a mesma coisa naquele terraço. Nenhum dos quatro queria testemunhas, ainda mais por serem desconhecidos que tinham em comum apenas o fato de estarem no mesmo local, na mesma hora. Desse impasse nasce algo inesperado: os quatro potenciais suicidas fazem um trato, segundo o qual nenhum deles poderia se matar antes do Dia dos Namorados. Juntos, Martin, um apresentador de tevê condenado por pedofilia; Jess, uma adolescente problemática e impulsiva; Maureen, mãe de um rapaz aprisionado a vida toda em estado vegetativo; e o roqueiro frustrado JJ vão descobrir - e inventar - algumas boas histórias para os manter distraídos até o prazo final. Neste romance, Nick Hornby se vale do tema sensível e polêmico do suicídio para mostrar o lado deliciosamente ridículo de nossas tragédias cotidianas.

A Escolha - Kiera Cass
Quando foi sorteada para participar da Seleção, America não imaginava que chegaria tão perto da coroa - nem do coração do príncipe Maxon. Com o fim do concurso cada vez mais próximo, e as ameaças rebeldes ao palácio ainda mais devastadoras, ela se dá conta de tudo o que está em risco e do quanto precisará lutar para alcançar o futuro que deseja. America já fez sua escolha, mas ainda há muitas outras em jogo. Aspen, seu antigo namorado, terá de encarar um futuro longe dela. E Maxon precisa ter certeza dos sentimentos da garota antes de tomar a grande decisão, ou acabará escolhendo outra concorrente.





Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo - Benjamin Alire Sáenz
Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.





O irresistível café de cupcakes - Mary Simses
Ellen é uma advogada de Manhattan e seu noivo está prestes a se tornar um importante político. Tudo em sua vida parece estar perfeito e no caminho certo. Até que ela decide realizar o último desejo de sua avó e entregar em mãos uma carta. Para isso, ela precisa ir para Beacon, uma charmosa cidadezinha do interior. Entre cupcakes de blueberry e deliciosas rosquinhas, Ellen desvenda os mistérios da vida de sua avó. Aos poucos, ela descobre os simples prazeres da vida e que "perfeito" nem sempre é o que parece.







Pietr, o letão - Georges Simenon
Pietr, o letão é o primeiro romance protagonizado pelo comissário Maigret. Após um corpo ser encontrado no banheiro de um trem, o detetive é levado de bares sombrios a hotéis de luxo enquanto investiga a verdadeira identidade de Pietr, o letão suspeito do crime.










O cavalariço da Providence - Georges Simenon
O comissário Maigret está sob a chuva perto de um canal. Uma mulher bem vestida, Mary Lampson, foi estrangulada num estábulo ali perto. Por que sua vida hedonista e cheia de glamour teve um fim brutal num lugar ermo como esse? Decerto seu marido taciturno, Sir Walter, sabe alguma coisa - ou talvez as respostas estejam com a tripulação da balsa Providence.










O enforcado de Saint-Pholien - Georges Simenon
Em O enforcado de Saint-Pholien, Maigret está em viagem para Bruxelas. Por acidente, o comissário precipita o suicídio de um homem, mas seu remorso é ofuscado pela descoberta dos sórdidos eventos que levaram o homem à decisão extrema de se matar.











O réu e o rei - de Paulo Cesar de Araújo
Esta história começa em 1965, quando um menino pobre de Vitória da Conquista, no interior da Bahia, ouve pela primeira vez "Quero que vá tudo pro inferno". Magnetizado pelo poder da canção, ele se tornaria instantaneamente fã do rei da música brasileira. Estava ali a semente de "Roberto Carlos em detalhes", a primeira grande biografia do ícone da Jovem Guarda, apreendida como resultado de processos movidos pelo cantor. Objetivo de verdadeira polêmica pública, a batalha em torno da proibição do livro é o cerne deste relato. Paulo Cesar de Araújo conta a história da sua intensa relação com a música de Roberto Carlos, os 16 anos de pesquisa que embasaram a redação da biografia e, por fim, os meandros de uma das mais comentadas e controversas guerras judiciais travadas recentemente no Brasil. É uma história ainda sem ponto final, mas sobretudo por isso necessária, que deve ser lida por todos os que se interessam pelo debate em torno da liberdade de expressão em nosso país.

20 de maio de 2014

Delírio - Maya Banks

Título: Delírio - Breathless #2
Autora: Maya Banks
Editora: Quinta Essência/Leya
Gênero: Romance/Conteúdo Adulto/Erótico
Ano: 2013
Páginas: 416
Nota:
Sinopse: Jace, Ash e Gabe: três dos homens mais ricos e poderosos do país. Eles estão acostumados a conseguir tudo o que querem. Absolutamente tudo. O desejo de Jace é possuir uma mulher cujos encantos o pegaram completamente de surpresa. Jace Crestwell, Ash McIntyre e Gabe Hamilton são melhores amigos e bem-sucedidos sócios há anos. Eles são poderosos, são imponentes, são irresistivelmente sexy, e Jace e Ash dividem tudo – inclusive suas mulheres. Quando eles conhecem Bethany, Jace começa a experimentar sentimentos que nunca havia conhecido antes: ciúme e uma poderosa obsessão que o ameaça, o sufoca – e o excita além de seu controle. Jace não divide Bethany – com ninguém. Ele está determinado a ser o único homem em sua vida e esse sentimento está prejudicando sua longa amizade com Ash. Bethany deveria ser sua e somente sua. Mesmo que isso signifique virar as costas para seu melhor amigo.

Resenha: Delírio é o segundo volume da trilogia Breathless escrita por Maya Banks e lançada no Brasil pelo selo Quinta Essência da Editora Leya. Como cada livro se refere à história de um dos três personagens principais, é possível ler fora de ordem, mas aconselho que os interessados leiam na ordem pois o início do segundo livro traz detalhes do final do primeiro.
No primeiro volume da trilogia, Obsessão, Jace e Ash estão presentes, porém o livro conta a história de Gabe Hamilton e seu interesse fora do normal por Mia. Mia é a irmã mais nova de Jace, o protagonista de Delírio.
Jace e Ash são conhecidos por suas práticas sexuais envolvendo o ménage à trois, e durante uma festa, Jace se interessa por Bethany, uma das moças que estão trabalhando lá. Conhecendo Jace tão bem, Ash logo dá um jeito de se aproximar da mulher para convidá-la para uma noite "especial", mas Jace parece ter outros planos e a ideia de compartilhar aquela mulher em particular não lhe agrada nada... Bethany parece ser diferente de todas as outras mulheres com quem Jace já dormiu, porém, a realidade dela é muito, muito diferente da de Jace e Ash... Ela vive de bicos, não tem onde morar e nem o que comer e ainda tem um irmão problemático que sempre aparece pedindo ajuda ou se metendo em encrencas. E partindo dessa premissa e de um primeiro encontro muito caliente envolvendo os três, a história se desenrola, mas dessa vez, Jace, talvez, irá colocar a amizade dele com Ash à prova, já que ele não quer dividir Bethany com ninguém...

Narrado em terceira pessoa, Delírio, apesar de ter muitas cenas intensas de sexo, dá um destaque maior para o relacionamento protetor, daquele tipo que envolve preocupação e cuidados, talvez devido a condição de Bethany. A química entre o casal também é enorme e convence bem. Chega a lembrar o filme Uma Linda Mulher pois há a diferença cultural e financeira entre o casal que sempre causa obstáculos e desconfianças, mas há também o toque de romantismo que vai além do BDSM em si, principalmente quando todo um drama começa a surgir. Apesar dos problemas, os personagens tem o pé no chão.
Confesso que a ideia de alguém que não tem nada, simplesmente encontrar alguém que lhe dê tudo só pode existir na ficção. É mesmo possível que alguém fique tão cego por amor que invista em outra pessoa sem pensar duas vezes e nem procurar saber se é alguém de confiança? Talvez o próprio comportamento de Bethany fez com que Jace agisse com o coração, mas também com a razão.
Adoro as capas dos livros dessa trilogia pois são simples e não remetem ao conteúdo.
A escrita da autora é fácil e bem fluída. O livro é enorme mas pode ser lido em poucas horas. O problema é que a revisão não foi a das melhores, notei vários erros, e também tive alguns problemas com traduções de termos que não combinam com o que é mais comum de ser dito no Brasil, pelo menos não entre quatro paredes... Alguns palavrões poderiam ser substituídos para que as falas se adaptassem com as daqui de forma a combinar melhor com a nossa realidade em vez de traduzir ao pé da letra e passar a impressão de algo forçado e falso. Há muita repetição, tanto em atitudes quanto a diálogos, principalmente em discussões. é possível quase adivinhar o que vai ser dito em determinada situação. Outra coisa que não poderia deixar de comentar é a impressão de novela da Globo que tive. Li o primeiro capítulo e já formei toda a trama na cabeça, já sabia como o livro ia terminar. Continuei lendo porque a história é boa e prende apesar de clichê e morna, mas o desfecho foi exatamente como imaginei. Mais previsível, impossível.
Eu gostei mais deste livro do que do primeiro. Talvez por já estar familiarizada com alguns dos personagens e pela trama ter sido construída de forma mais aceitável (pra quem leu a resenha de Obsessão vai entender como discordei e não engoli o relacionamento doentio que Gabe desenvolveu com Mia).
Delírio apresenta uma história de gata borralheira e seu príncipe encantado, com toques de drama, romance, e muito sexo entre dominador gostosão e submissa nada inocente...
E que venha Fogo, último volume, para conhecermos um pouco mais de Ash.


18 de maio de 2014

Campanha de Conscientização - Dublin Street

O livro Dublin Street, um dos lançamentos de maio da Editora Leya, merece bastante destaque pelo tema que aborda: a Síndrome do Pânico.

1. Objetivo da Campanha
Assim como, por exemplo, a depressão, pessoas que possuem a síndrome do pânico nem sempre recebem o apoio e a compreensão necessária. Por isso, a campanha visa mostrar que essas pessoas não estão sozinhas, são compreendidas e podem ser tratadas pois se trata de algo realmente sério.

2. Sinopse do Livro
Traumatizada pelo seu trágico passado, a americana Joss muda-se para a Escócia, onde espera começar uma nova vida. No anonimato da romântica Edimburgo, esconde-se no seu casulo. Durante quatro anos tenta negar memórias dolorosas, refugiada na escrita, no sonho de um dia, finalmente, pôr os seus fantasmas no papel.
Mas de repente tudo muda. Quando vai morar para um luxuoso apartamento na Dublin Street, descobre também o desconcertante Braden, um carismático milionário que exerce sobre ela um irresistível fascínio.
Joss vê-se numa encruzilhada. Sabe que a atração entre ambos é imediata, avassaladora. Mas os demônios do seu passado impedem-na de se entregar ao sensual escocês. É então que ele lhe propõe um estranho acordo, que lhes permitirá explorar a paixão que os une sem se envolverem emocionalmente.
Joss aceita. E no início acredita, inocentemente, que o acordo vai resultar. Mas Braden quer mais, muito mais, quer tudo. Quer desvendar todos os segredos – e está disposto a mudar o que for preciso para tê-la por inteiro. Mas será que ela está disposta a ir até ao fim?

3. O que é a Síndrome do Pânico?
"A síndrome do pânico, na linguagem psiquiátrica chamada de transtorno do pânico, é uma enfermidade que se caracteriza por crises absolutamente inesperadas de medo e desespero."
(fonte: DrauzioVarella.com.br)

4. Quais são os Sintomas?
"A pessoa tem a impressão de que vai morrer naquele momento de um ataque cardíaco, porque o coração dispara, sente falta de ar e tem sudorese abundante.
Quem padece de síndrome do pânico sofre durante as crises e ainda mais nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor ideia de quando elas ocorrerão novamente, se dali a cinco minutos, cinco dias ou cinco meses. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida do paciente fica seriamente comprometida."
(fonte: DrauzioVarella.com.br)

5. Qual a Evolução da Síndrome caso não haja Tratamento?
"A pessoa tranquila de antes torna-se tensa por dois motivos especiais: a expectativa da próxima e inesperada crise e, paradoxalmente, porque a tensão protege contra o pânico. Se antes possuía uma personalidade relaxada e autoconfiante, fica insegura e leva uma vida mais restrita por causa da agorafobia que se instalou. A longo prazo, 60% dos pacientes com pânico apresentam depressão e 12% tentam suicídio."
(fonte: DrauzioVarella.com.br)

6. Qual o Tratamento?
"O que se sabe hoje é que a técnica de combinar medicamentos e terapia comportamental é mais eficiente, pois é muito penoso para o paciente adotar um programa comportamental baseado na exposição a situações que provocam pânico, sistematicamente, de forma gradual e progressiva, até que ocorra a dessensibilização.
A terapia de exposição baseia-se na capacidade de o ser humano habituar-se ao estresse. É como se assistisse a um filme de terror 15 vezes. Na primeira vez, os cabelos ficam em pé. Na segunda, como já sabe o que vai rolar e que vai espirrar sangue no teto, a reação é menos intensa. Na última, o filme não desperta mais nenhuma resposta emocional. Todavia, os pacientes aceitam melhor o tratamento e melhoram mais depressa se simultaneamente tomarem antidepressivos, medicação que se torna obrigatória para os 60% daqueles que têm depressão associada ao pânico."
(fonte: DrauzioVarella.com.br)


Sobre a autora
Samantha Young é autora best-seller do New York Times, EUA Today e Wall Street Journal. Nasceu em Stirlingshire, Escócia e foi nomeada para o Prêmio Escolha Goodreads 2012 de Melhor Autor e Melhor Romance para seu best-seller internacional Dublin Street.
Dublin Street é o primeiro romance adulto contemporâneo de Samantha que já vendeu em vinte e cinco países.
Para mais informações: www.ondublinstreet.com e www.samanthayoungbooks.com